SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 número3Um modelo integrado econométrico+insumo-produto para previsão de longo prazo da demanda de combustíveis no Brasil índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Nova Economia

versión impresa ISSN 0103-6351

Resumen

SUPRINYAK, Carlos Eduardo. Merchants and councilors: intellectual divergences in early 17th century British economic thought. Nova econ. [online]. 2011, vol.21, n.3, pp.459-482. ISSN 0103-6351.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-63512011000300006.

Durante o início da década de 1620, a Inglaterra enfrentou um período de intensas dificuldades econômicas que despertou o interesse de muitos pela reflexão acerca dos fenômenos em curso. A década testemunhou o surgimento das mais relevantes obras econômicas do início do período Stuart; porém, o debate não esteve restrito às confrontações abstratas dos autores especializados. A questão fundamental em disputa nas controvérsias entre Malynes, Misselden e Mun - como integrar a moeda e o comércio internacional em uma explicação coerente dos fenômenos econômicos - foi também objeto de muita atenção na esfera pública, em sentido amplo. A Sessão Parlamentar de 1621, em particular, colocou em evidência não apenas a relevância fundamental do tema para a compreensão dos problemas econômicos da Inglaterra, mas também a enorme complexidade envolvida em sua investigação. Ao reunir todos esses elementos, o artigo busca articular um retrato mais denso a respeito do estado corrente das ideias econômicas na Inglaterra do início do século XVII.

Palabras clave : pensamento econômico pré-clássico; mercantilismo; século XVII; Inglaterra Stuart; Thomas Mun.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons