SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 número3Um modelo integrado econométrico+insumo-produto para previsão de longo prazo da demanda de combustíveis no Brasil índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Nova Economia

versión impresa ISSN 0103-6351

Resumen

SUPRINYAK, Carlos Eduardo. Merchants and councilors: intellectual divergences in early 17th century British economic thought. Nova econ. [online]. 2011, vol.21, n.3, pp. 459-482. ISSN 0103-6351.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-63512011000300006.

Durante o início da década de 1620, a Inglaterra enfrentou um período de intensas dificuldades econômicas que despertou o interesse de muitos pela reflexão acerca dos fenômenos em curso. A década testemunhou o surgimento das mais relevantes obras econômicas do início do período Stuart; porém, o debate não esteve restrito às confrontações abstratas dos autores especializados. A questão fundamental em disputa nas controvérsias entre Malynes, Misselden e Mun - como integrar a moeda e o comércio internacional em uma explicação coerente dos fenômenos econômicos - foi também objeto de muita atenção na esfera pública, em sentido amplo. A Sessão Parlamentar de 1621, em particular, colocou em evidência não apenas a relevância fundamental do tema para a compreensão dos problemas econômicos da Inglaterra, mas também a enorme complexidade envolvida em sua investigação. Ao reunir todos esses elementos, o artigo busca articular um retrato mais denso a respeito do estado corrente das ideias econômicas na Inglaterra do início do século XVII.

Palabras llave : pensamento econômico pré-clássico; mercantilismo; século XVII; Inglaterra Stuart; Thomas Mun.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés