SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 issue2Determination of TNF-a Gene Polymorphisms on Skeletal Pattern in Class II MalocclusionSurface Topography, Gloss and Flexural Strength of Pressable Ceramic After Finishing-Polishing Protocols author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Dental Journal

Print version ISSN 0103-6440On-line version ISSN 1806-4760

Abstract

MELO FILHO, Antonio Braulino de et al. Failure Probability, Stress Distribution and Fracture Analysis of Experimental Screw for Micro Conical Abutment. Braz. Dent. J. [online]. 2019, vol.30, n.2, pp.157-163.  Epub Apr 04, 2019. ISSN 0103-6440.  http://dx.doi.org/10.1590/0103-6440201902401.

O objetivo deste estudo foi avaliar a probabilidade de falha de dois tipos de parafusos para pilar protético após a compressão e analisar a distribuição da tensão com o método dos elementos finitos. Sessenta (60) restaurações unitárias foram montadas em implantes de titânio (e-fix, A.S. Technology - Titanium Fix). Os grupos foram divididos em parafusos convencionais (parafuso de pescoço 1,5 ø mm) e parafuso experimental (parafuso de pescoço estreitado com 1,2 ø mm). As amostras foram sujeitas ao teste de compressão de acordo com ISO 14801. Os espécimes fraturados foram submetidos a estereomicroscopia para a mensuração dos parafusos restantes dentro do implante e caracterização da origem da fratura. Os espécimes representativos foram analisados ​​por microscopia eletrônica de varredura. Para o método de elementos finitos (FEM), utilizou-se um modelo 3D idêntico dos dois grupos de teste in vitro com condições semelhantes (30º, 100 N). A tensão no parafuso do pilar foi analisada pelo critério de von-Mises. Os resultados de resistência a compressão foram 4132,5 ± 76 MPa e 4528,2 ± 127,2 para grupos convencionais e experimentais, respectivamente. Durante a microscopia, a média do remanescente do parafuso restante dentro dos implantes foi de 0,97 ± 0,23 e 1,32 ± 0,12 mm para os grupos convencionais e experimentais, respectivamente. Em FEM, o grupo convencional mostrou tensão concentrada em uma região desfavorável (pico de 39,23 MPa), enquanto o grupo experimental apresentou mais áreas de tensão, porém menor concentração do que o grupo convencional (36,6 MPa). Ao usar a geometria experimental testada, o parafuso do pilar pode ter sua resistência melhorada e a origem da falha pode ser mais favorável à resolução clínica.

Keywords : finite element analyses; dental implant; abutment screw loosening; Weibull analysis.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )