SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 issue3Psychodynamics of work and sex social relationships: an interdisciplinary itinerary. 1988-2002"You care too much for feelings" "Animal well-being", repression of affectivity,cattle raisers' distress author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Production

Print version ISSN 0103-6513

Abstract

DEJOURS, Christophe. Subjetividade, trabalho e ação. Prod. [online]. 2004, vol.14, n.3, pp. 27-34. ISSN 0103-6513.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65132004000300004.

Este artigo traz algumas questões para o debate sobre as relações entre trabalho e subjetividade. Nessa perspectiva o trabalho é aquilo que implica, do ponto de vista humano, o fato de trabalhar: gestos, saber-fazer, um engajamento do corpo, a mobilização da inteligência, a capacidade de refletir, de interpretar e de reagir às situações; é o poder de sentir, de pensar e de inventar. O real do trabalho sempre se manifesta afetivamente para o sujeito, aí se estabelece uma relação primordial de sofrimento, experimentada pelo sujeito, corporificada. Trabalhar é preencher a lacuna entre o prescrito e o real. Por isto é que uma parte importante do trabalho efetivo permanece na sombra, não podendo, então, ser avaliado. Outra questão abordada é sobre os acordos firmados entre os trabalhadores no seio do coletivo, de uma equipe ou de um ofício, que têm sempre uma vetorização dupla: de uma parte, um objetivo de eficácia e de qualidade do trabalho; de outra parte, um objetivo social. É proposta também uma discussão entre a teoria psicodinâmica do trabalhar, onde a centralidade do trabalho é um dos seus alicerces e a teoria psicanalítica onde esta questão não é abordada diretamente.

Keywords : Subjetividade e trabalho; sofrimento; prescrito e real; centralidade do trabalho.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese