SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 issue3Theoretical and methodological assumptions of Bioecological Theory of Human Development: a research with juvenile offenders at treatment facilitiesThe game of senses in psychoanalysis: otherness, truth and construction author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Psicologia USP

Print version ISSN 0103-6564On-line version ISSN 1678-5177

Abstract

ZILIO, Diego  and  NEVES FILHO, Hernando. O que (não) há de “complexo” no comportamento? Behaviorismo radical, self, insight e linguagem. Psicol. USP [online]. 2018, vol.29, n.3, pp.374-384. ISSN 0103-6564.  https://doi.org/10.1590/0103-656420170027.

Uma crítica comum encontrada em manuais e livros didáticos de psicologia é que a análise do comportamento não seria capaz de explicar fenômenos psicológicos complexos. Estes seriam melhor abordados por explicações cognitivistas baseadas em mecanismos internos ao organismo. Este ensaio tem como objetivo avaliar a pertinência dessa crítica à luz de exemplos da literatura analítico-comportamental. A partir da análise de pesquisas que tratam de formação de self, insight e linguagem, argumenta-se que a “complexidade” foi importada para os laboratórios de análise do comportamento, assim como floresceu em diversas linhas de pesquisa de tradição behaviorista radical. Em adição, são discutidos cinco significados possíveis dados à “complexidade” extraídos da literatura consultada. Conclui-se que não há significado útil do termo e que, por essa razão, talvez seja pertinente abandoná-lo como critério de classificação de comportamentos. Como consequência, “comportamento complexo” seria simplesmente “comportamento” e nada mais.

Keywords : behaviorismo radical; cognitivismo; metateorias; comportamento complexo.

        · abstract in English | French | Spanish     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )