SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número2Complexity and ergonomy: the manager work at the organic agriculture in Campinas - SP BrazilGenetic mapping of oligogenic traits using maximum likehood functions índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Ciência Rural

versión impresa ISSN 0103-8478

Resumen

LIMA, Ana Patrícia Souza de et al. Genética de duas larviculturas de camarão branco do Pacífico Litopenaeus vannamei (Boone, 1931) em Pernambuco, Brasil. Cienc. Rural [online]. 2010, vol.40, n.2, pp. 295-301.  Epub 22-Ene-2010. ISSN 0103-8478.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782010005000008.

A carcinicultura cresceu significativamente no Brasil ao longo dos últimos 10 anos, especialmente a produção do camarão branco do Pacífico, o exótico Litopenaeus vannamei. Em 2004, a atividade foi marcada por uma crise na produção, que despertou interesse na implantação de programas de melhoramento dos estoques de camarão. A importação de crustáceos foi banida do Brasil por uma Instrução Normativa de 1997, como uma medida de precaução sanitária. Desde então, a reposição de matrizes nas larviculturas passou a ser conduzida com estoques domesticados, gerando preocupações sobre o possível declínio da diversidade genética e sobre a possibilidade de que a diversidade genética existente pudesse garantir ganhos efetivos em programas de melhoramento. No presente trabalho, parâmetros genéticos, tais como número de alelos, número de alelos efetivos, heterozigosidade esperada e observada, coeficiente de consanguinidade, coeficiente de diferenciação genética e desvio do equilíbrio de Hardy-Weinberg, foram estimados para duas importantes larviculturas comerciais do Nordeste do Brasil, por meio da genotipagem de cinco marcadores microssatélites. O número de alelos efetivos (3 a 10,5) e as heterozigosidades médias observada e esperada (0,480 e 0,680) foram consistentes com aqueles relatados para populações de peneídeos de cativeiro e selvagens. Entretanto, valores positivos de FIS (0,381 para a larvicultura A e de 0,249 para a larvicultura B) mostraram uma deficiência significativa de heterozigotos (P<0,01). Apesar disso, é possível concluir que, mesmo após 10 anos de proibição na importação de crustáceos, tem sido possível manter um alto nível de variabilidade genética, possivelmente devido a origens múltiplas do estoque de fundadores dessa espécie no Brasil e da constante troca de reprodutores entre larviculturas.

Palabras llave : Litopenaeus vannamei; genética de populações; diversidade genética; microssatélite.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés