SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.47 número5Caracterização morfológica, bioquímica e molecular de populações de Meloidogyne spp. de regiões brasileiras produtoras de sojaOcorrência do coró-pequeno (Cyclocephala flavipennis) danificando pastagens perenes de inverno na região Sul do Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência Rural

versão On-line ISSN 1678-4596

Resumo

CAMPOS, Jonatas da Silva et al. Cancro europeu da macieira: variabilidade morfofisiológicas e patogenicidade de isolados de Neonectria ditissima no sul do Brasil. Cienc. Rural [online]. 2017, vol.47, n.5, e20160288.  Epub 10-Abr-2017. ISSN 1678-4596.  https://doi.org/10.1590/0103-8478cr20160288.

O cancro europeu (CE) da macieira é causado pelo fungo Neonectria ditissima e foi oficialmente registrado como praga quarentenária em 2012. Foram avaliados 35 isolados de N. ditissima provenientes de ramos de macieira com sintomas típicos de CE de diferentes regiões do sul do Brasil. Os isolados foram identificados pelos primers específicos Ch1 e Ch2 e analisados quanto as características morfofisiológicas e virulência na cultivar de macieira Gala. Os sintomas foram caracterizados e os isolados comparados com base no crescimento micelial médio (CMM), índice de crescimento micelial (ICM), coloração das colônias e tipos, dimensões e produção de conídios em meios de cultura batata-dextrose-ágar (BDA), malte-ágar (MA) e meio sintético SNAY (SS). Dezenove isolados tiveram os maiores CMM sobre BDA, formando três grupos de crescimento de 35.56 (GI), 52.71 (GII) e 62.67mm (GIII). Sete isolados tiveram ICM maior de 4mm de diâmetro sobre BDA quando comparados com os meios MA e SS. A maior produção de conídios ocorreu sobre o meio SS e a coloração predominante foi de branco-à-bege com pigmentação central marrom e bordas de colônia em tons de bege. Foram observadas diferenças significativas nas dimensões médias dos micro- e macroconídios sobre os meios de culturas BDA, MA e SS. Todos os isolados foram patogênicos na cultivar de macieira gala, independentemente das diferenças morfofisiológicas. Não foram observadas correlações entre a variabilidade morfofisiológicas, virulência e origem geográfica dos isolados.

Palavras-chave : Malus domestica; meios de culturas; morfofisiologia de micélios e conídios.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )