SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.49 número1Qual a melhor equação do índice de temperatura e umidade para indicar estresse por calor em bezerros leiteiros mestiços em ambiente tropical?Produção de forragem e composição mineral da palma consorciada com leguminosas e adubada com diferentes fontes de esterco índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência Rural

versão impressa ISSN 0103-8478versão On-line ISSN 1678-4596

Resumo

ZEPPENFELD, Carla Cristina et al. Indução anestésica de Rhamdia quelen e Ctenopharyngodon idella com o óleo essencial de Ocimum micranthum. Cienc. Rural [online]. 2019, vol.49, n.1, e20180218.  Epub 11-Fev-2019. ISSN 0103-8478.  http://dx.doi.org/10.1590/0103-8478cr20180218.

Os anestésicos são eficazes para reduzir ou minimizar o estresse nas operações de manuseio relacionadas à piscicultura. Com o objetivo de evitar efeitos residuais de fármacos sintéticos, vários agentes naturais, como óleos essenciais (OEs), têm sido testados. O objetivo deste estudo foi determinar a concentração ótima do OE de Ocimum micranthum para a indução de anestesia em juvenis de jundiá (Rhamdia quelen) e carpa capim (Ctenopharyngodon idella). Os resultados demonstram que a concentração mais adequada para sedar jundiás e carpas capim é 25μL/L. Enquanto que para anestesiar 200μL/L é mais adequado para jundiás e 100μL/L para carpas capim, pois essas concentrações induzem anestesia profunda em menos de três minutos e recuperação em menos de cinco minutos. A análise dos constituintes do OE identificou o metil chavicol, um composto com potencial carcinogênico, como componente majoritário (58,2%). Portanto, o OE de O. micranthum não é recomendado para anestesia de peixes usado como alimento.

Palavras-chave : anestesia; jundiá; carpa-capim; sedação.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )