SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.59 número3Resíduos deslocáveis de metamidofós em cultura estaqueada de tomateSimulação de modelos mistos no delineamento em blocos aumentado índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Scientia Agricola

versão On-line ISSN 1678-992X

Resumo

MORENO, Paulo Rogério  e  NAKANO, Octávio. Atividade de buprofezin sobre a cigarrinha verde do feijoeiro Empoasca kraemeri (Ross & Moore, 1957) (Hemiptera, Cicadellidae) em condições de laboratório. Sci. agric. (Piracicaba, Braz.) [online]. 2002, vol.59, n.3, pp.475-481. ISSN 1678-992X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-90162002000300011.

A espécie Empoasca kraemeri é uma importante praga para a cultura do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) em toda a América Latina, sendo necessário recorrer ao controle químico quando a praga atinge alta população. Neste trabalho, foi estudado o efeito do inseticida buprofezin sobre ninfas de primeiro instar de Empoasca kraemeri (Hemiptera, Cicadellidae), sob condições de laboratório. Esta fase da praga mostrou-se altamente susceptível ao inseticida, sendo a CL50 estimada de 0,112 mg L-1. Em outro bioensaio, casais virgens e recém-emergidos foram colocados em contato com plantas de feijoeiro previamente imersas na calda do inseticida. A longevidade média para fêmeas/machos foi de: 46/27, 18/16 e 16/14 dias para a testemunha, 10 e 50 mg L-1 de buprofezin, respectivamente. Observou-se uma média de 102; 0,9 e 0,1 ovos por fêmea no tratamento testemunha, 10 e 50 mg L-1 de buprofezin, respectivamente. O ritmo de postura, que determina a longevidade dos indivíduos, foi de 2,31; 0,09 e 0,01 ovos/fêmea/dia para a testemunha, 10 e 50 mg L-1 de buprofezin, respectivamente. No último bioensaio, foi investigado o efeito de buprofezin sobre os adultos, porém, tratando-se apenas fêmeas e machos isoladamente com o inseticida em superfície contaminada a 1000 mg L-1 de buprofezin e posteriormente, colocando-os junto a insetos do sexo oposto que não haviam sido contaminados. Foi observada longevidade para fêmeas/machos de: 46/27, 35/23 e 27/13 dias para o tratamento testemunha, fêmeas tratadas e machos tratados, respectivamente. O ritmo de postura não apresentou diferença, sendo de 2,31; 2,56 e 2,42 ovos/fêmea/dia no tratamento testemunha, fêmeas tratadas e machos tratados, respectivamente.

Palavras-chave : Phaseolus vulgaris; fecundidade; esterilização química.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons