SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.59 número3Simulação de modelos mistos no delineamento em blocos aumentadoProdução e qualidade de folhas de amoreira em função da época do ano e de colheita índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Scientia Agricola

versão On-line ISSN 1678-992X

Resumo

SOARES, Frederico Antônio Loureiro et al. Salinidade da água e desenvolvimento inicial do maracujazeiro amarelo. Sci. agric. (Piracicaba, Braz.) [online]. 2002, vol.59, n.3, pp.491-497. ISSN 1678-992X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-90162002000300013.

Considerando-se a inexistência de indicativos de tolerância do maracujazeiro (Passiflora edulis) à salinidade, estudaram-se, no delineamento inteiramente casualizado, os efeitos de oito níveis de condutividade elétrica da água de irrigação (CEa), variando de 1,0 a 8,0 dS m-1, sobre o vigor e a formação de mudas de maracujazeiro amarelo. A salinidade retardou a germinação, mas só houve decréscimo relativo com CEa > 4,43 dS m-1; o vigor de plântulas e o crescimento foram afetados com a salinidade, todavia, água de CE de 4 dS m-1 proporcionou 85% de vigor e mudas com crescimento superior a 50% em relação ao menor nível estudado. Com base na salinidade do solo, o maracujá amarelo pode ser considerado 'moderadamente tolerante' na fase de muda.

Palavras-chave : Passiflora edulis; tolerância; condutividade elétrica.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons