SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 número2Ciclagem de nutrientes em um seringal do clone RRIM 600Análise de dados de solo via métodos de espaço de estado: regressão com coeficientes variáveis índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Scientia Agricola

versão On-line ISSN 1678-992X

Resumo

FURLANI, Ângela Maria Cangiani; CARVALHO, Cristiane Pierrotte; FREITAS, José Guilherme de  e  VERDIAL, Marcelo Fontanetti. Tolerância de cultivares de trigo à deficiência e toxicidade do boro em solução nutritiva. Sci. agric. (Piracicaba, Braz.) [online]. 2003, vol.60, n.2, pp.359-370. ISSN 1678-992X.  https://doi.org/10.1590/S0103-90162003000200022.

Sintomas esporádicos de espiguetas sem grãos observados em campos de trigo apenas para determinadas cultivares induziram pesquisadores à hipótese de uma possível relação destes sintomas com baixo teor de boro (B) disponível no solo e com diferenças entre as cultivares na exigência a B. Este experimento foi realizado com o objetivo de estudar as cultivares IAC 24, IAC 60, IAC 287 e IAC 289, em concentrações de B em solução nutritiva. O ensaio foi instalado em casa de vegetação, durante 1997/1998, em blocos casualizados com quatro repetições e cinco concentrações de boro (0,00; 0,05; 0,20; 0,80 e 2,00 mg L-1). As plantas cresceram até a maturidade e foram avaliadas quanto à altura, número e comprimento das espigas, número de espiguetas sem grãos, grãos por espiga, matéria seca das partes das plantas, teores de B, P, K, Ca e Mg nas folhas e conteúdos totais desses nutrientes. Os sintomas visuais de deficiência de B consistiram de espiguetas abertas, retorcidas e sem grãos. 'IAC 60' e 'IAC 287' mostraram-se mais eficientes, apresentando as maiores produções de grãos nas concentrações mais baixas de B. 'IAC 287' e 'IAC 24' foram mais tolerantes às concentrações mais altas de B, sendo 'IAC 24' bem mais exigente. O teor limite de B nas folhas, para deficiência, foi de 25 mg kg-1 para todas as cultivares e, para toxicidade, foram de: 44 a 45 mg kg-1 para 'IAC 60' e 'IAC 289'; e 228 e 318 mg kg-1 para 'IAC 24' e 'IAC 287', respectivamente. Exceto para o tratamento com a mais alta concentração de B, os teores e conteúdos de P, Ca, K e Mg encontrados nas plantas estavam dentro da normalidade e não variaram com os tratamentos.

Palavras-chave : Triticum aestivum; cultivares de trigo; nutrição com B; teores de B nas folhas; limites críticos.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons