SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.62 issue5Resistence of Euphorbia Heterophylla L. to ALS-inhibiting herbicides in soybeanBiological parameters of Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) assayed with Bacillus thuringiensis berliner author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Scientia Agricola

On-line version ISSN 1678-992X

Abstract

BRON, Ilana Urbano et al. Mudanças na respiração e no coeficiente Q10 de goiaba relacionadas à temperatura. Sci. agric. (Piracicaba, Braz.) [online]. 2005, vol.62, n.5, pp.458-463. ISSN 1678-992X.  https://doi.org/10.1590/S0103-90162005000500008.

A goiaba (Psidium guajava L.) é um fruto tropical que apresenta rápido amadurecimento, o que a torna um produto muito perecível. Temperaturas inapropriadas durante o armazenamento e comercialização podem acelerar a perda da qualidade dos frutos. O objetivo desse trabalho foi avaliar a atividade respiratória (AR), a produção de etileno (PE) e o coeficiente Q10 de goiabas em diferentes temperaturas de armazenamento. Goiabas do cultivar Paluma foram colhidas no estádio 1 de maturação (casca verde escura) e armazenadas a 1, 11, 21, 31 e 41ºC. A AR e a PE foram determinadas com 12, 36, 84 e 156 h de armazenamento. As taxas de AR e PE a 1 e 11ºC foram as menores, atingindo valores ao redor de 0,16 e 0,43 mmol CO2 kg-1 h-1 e 0,003 e 0,019 µmol C2H4 kg-1 h-1, respectivamente. Quando as goiabas foram armazenadas a 21ºC, observou-se aumento gradual em AR e PE, as quais alcançaram valores de 2,24 mmol CO2 kg-1 h-1 e 0,20 µmol C2H4 kg-1 h-1 após 156 h de armazenamento. As maiores AR e PE foram observadas em goiabas armazenadas a 31ºC. Apesar de alta AR, goiabas armazenadas a 41ºC tiveram baixa PE, similarmente àquelas armazenadas a 11ºC, indicando dano por alta temperatura. Na faixa de 1-11ºC, o valor médio de Q10 foi de 3,0, enquanto esse valor quase duplicou na faixa de 11-21ºC, atingindo 5,9. O Q10 decresceu nas faixas de 21-31ºC e 31-41ºC, apresentando valores de 1,5 e 0,8, respectivamente. Conhecendo-se a variação do Q10, da taxa respiratória e do comportamento do amadurecimento em resposta a diferentes temperaturas, as condições de armazenamento e comercialização dos frutos podem ser otimizadas para reduzir as perdas na qualidade.

Keywords : Psidium guajava; amadurecimento; etileno.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License