SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.68 número1Danos causados por estresse salino sobre a fotossíntese de plantas jovens de pinhão-mansoComportamento estomático e componentes do sistema antioxidante em cafeeiros sob estresse hídrico índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Scientia Agricola

versão On-line ISSN 1678-992X

Resumo

BEHBAHANI, Mandana; SHANEHSAZZADEH, Mehrnaz  e  HESSAMI, Mohamad Javad. Otimização de culturas de suspensões de calos e células de Barringtonia racemosa (família Lecythidaceae) para produção de licopeno. Sci. agric. (Piracicaba, Braz.) [online]. 2011, vol.68, n.1, pp.69-76. ISSN 1678-992X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-90162011000100011.

O licopeno está presente numa série de frutas frescas e hortaliças principalmente na folhas de Barringtonia racemosa. A extração tradicional do licopeno tem sido empregada no lugar da fácil técnica de propagação como o processo de cultura de células de explantes de folhas. É nossa intenção demonstrar como o licopeno pode ser extraído através de cultura de tecido sob luz (iluminação com lâmpadas fluorescentes brancas de 8.200 lux, 16 h por dia a 25º C) e escuro. Explantes de folhas de Barringtonia racemosa foram cultivados em meio modificado de Murashige e Skoog (MS) para plantas lenhosas e meio B5, suplementado com diferentes concentrações de ácido 2,4-Diclorofenoxiacético (2,4-D). Condições ótimas para indução e manutenção de calos sob luz e escuro foram investigadas e avaliados o crescimento e acumulo de licopeno. Entre meios com diferentes concentrações de 2,4 -D, calos friáveis de crescimento rápido tiveram início em três semanas após serem cultivados em meio basal WPM suplementado com 2.0 mg L-1 (peso por volume) de 2,4-D enquanto indução de calos em explantes cultivados em todos os outros meios começaram somente após cinco semanas. Calos foram subrepicados a cada 15 dias. Calos amarelo-pálido e verdes desenvolvidos respectivamente sob condições escura e de luz foram então selecionados para avaliação do teor de licopeno. Um método aperfeiçoado de cromatografia líquida de alto desempenho foi usado para a determinação química seletiva do teor de licopeno. A produção de licopeno induzida sob luz e também o nível máximo de licopeno incubado em luz foi mais alto do que aqueles incubados no escuro. As melhores taxas de crescimento de calo e suspensões de células foram obtidas respectivamente em meio WPM e B5. A produção de licopeno dependeu do crescimento como demonstrado pela análise do crescimento e teor de licopeno de ambos calos e cultura de células em suspensão.

Palavras-chave : Mimosa; caroteno; fitoquímico; micropropagação de plantas; hormônios de crescimento.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons