SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número3Tornar-se mulher negra: escrita de si em um espaço interseccionalQuando o amor é o problema: feminismo e poliamor em debate índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Estudos Feministas

versão impressa ISSN 0104-026Xversão On-line ISSN 1806-9584

Resumo

HENRIQUES, Rogério da Silva Paes  e  LEITE, André Filipe dos Santos. A disforia de gênero como síndrome cultural norte-americana. Rev. Estud. Fem. [online]. 2019, vol.27, n.3, e56662.  Epub 23-Set-2019. ISSN 1806-9584.  https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n356662.

O diagnóstico “disforia de gênero”, proposto pela quinta edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), é apresentado como uma “síndrome cultural” norte-americana, ilustrando a tendência expansionista da American Psychiatric Association (APA) em arregimentar as experiências de trânsito de gênero que escapem à matriz de inteligibilidade centrada em torno do masculino/feminino. A esse diagnóstico, forjado pelo pensamento binário estadunidense, nos moldes da chamada disease mongering, opõe-se a experiência da travesti brasileira como alteridade radical para com a matriz de inteligibilidade de gênero instituída.

Palavras-chave : disforia de gênero; síndrome cultural; DSM-5; Disease mongering; travesti brasileira.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )