SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.46 número3Pesquisa de micronúcleos na mucosa esofágica e sua relação com fatores de risco ao câncer de esôfagoDeflazacort e cicatrização de anastomoses colônicas. Estudo experimental em ratos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista da Associação Médica Brasileira

versão impressa ISSN 0104-4230

Resumo

ROMAO JUNIOR, J.E. et al. Causas e prognóstico da insuficiência renal aguda hospitalar em pacientes idosos. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2000, vol.46, n.3, pp. 212-217. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302000000300005.

OBJETIVOS: O objetivo deste estudo foi analisar as causas e o prognóstico de pacientes idosos (>70 anos de idade) com IRA tratados em nosso Serviço. CASUÍSTICA E MÉTODOS: Dos 361 pacientes adultos e portadores de IRA, atendidos em nosso serviço no período de janeiro/95 a dezembro/96, acompanhamos 130 pacientes (36%) com idade superior a 70 anos (média de 76,0 ± 4,7 anos, variando de 70 a 94 anos). Destes, 84 (65%) eram do sexo masculino e 66 (51%) estavam no pós-operatório de cirurgias diversas. Os dados foram obtidos através de formulários padronizados usados no Serviço. RESULTADOS: As causas mais freqüentes foram: isquêmicas 48 (38%), sepsis 40 (31%), nefrotóxicas 46 (35%) e obstrutivas 10 (7,7%); em outros 14 (11%) foram diagnosticados mais de um agente causal. IRA não-oligúrica ocorreu em 81 pacientes (62,8%) e em 50 pacientes (39%) houve necessidade de diálise. A mortalidade na população com idade abaixo de 70 anos foi 43% e nos idosos 53,1%, não havendo diferença estatística entre os grupos (p=0,085). A mortalidade foi maior (p<0,0001) nos pacientes idosos oligúricos (86%) do que nos idosos não-oligúricos (32%); maior em casos de IRA cirúrgica (66,7%) do que em IRA de origem médica (41,8%), e em pacientes internados em UTI (69%) do que nos internados em enfermaria (17%). O número de óbitos também foi maior (p<0,0001) no grupo que necessitou de diálise (84%) do que nos não dialisados (33%). CONCLUSÃO: Concluímos que o percentual de pacientes idosos com IRA é elevado; apresentaram mortalidade ao redor de 50%, não superior ao observado na população mais jovem; oligúria, cirurgia, necessidade de tratamento em UTI e necessidade de diálise foram fatores de prognóstico desfavorável nesta casuística.

Palavras-chave : Insuficiência renal aguda; Idosos; Prognóstico.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português