SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.50 issue2Baseline clinical features of 483 children and adolescents with primary vesicoureteral reflux: a retrospective studyPuberty and growth in children and adolescents with neuro fibromatosis type 1 author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230

Abstract

TEODOSIO, Marta Regueira; FREITAS, Clara Lúcia C. de; SANTOS, Naíde Teodósio Valois  and  OLIVEIRA, Eliane da Cunha Mendonça de. Hipertensão na mulher: estudo em mães de escolares de Jaboatão dos Guararapes - Pernambuco - Brasil. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2004, vol.50, n.2, pp. 158-162. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302004000200031.

OBJETIVO: O objetivo desta pesquisa foi estudar a prevalência da hipertensão em uma população de mulheres aparentemente sadias, com vistas a planejar um programa de prevenção primária. MÉTODOS: A população alvo foi uma amostra representativa de mães de 126.800 escolares matriculados em escolas do município de Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco, Brasil. O tamanho da população (1.273 estudantes) foi selecionado a partir de uma prevalência esperada (5%±2%) de hipertensão em crianças, com o nível de confiança de 99,9%. O estudo abrangeu 21 escolas e 986 mães de 1601 escolares. Foram feitas nas escolas, em duas visitas realizadas pelo mesmo examinador, duas aferições da pressão arterial, separadas por dois minutos. Em 893 mães foi determinado o índice de massa corporal e, em 671 delas, foi coletado o jato intermediário da urina para análise, empregando-se fita reagente. RESULTADOS: A prevalência de hipertensão foi 27,7% e foi significantemente maior (p<0,01) entre as mães com sobrepeso (28,5%) e obesidade (57%) que entre aquelas com peso normal (14%) e baixo peso (12%). Houve diferença significante (p<0,05) quanto à presença de glicosúria entre as hipertensas e normotensas (3% e 0%, respectivamente). Das 62 hipertensas que tiveram seguimento ambulatorial entre 3 e 12 meses, 13 (21%) normalizaram a pressão arterial e 27 (43,5%) permaneceram com hipertensão em estágio inferior ao inicial. CONCLUSÕES: A prevalência de hipertensão encontrada (27,7%) está de acordo com a literatura, que refere ser de 26% entre as mulheres, apresentando uma maior tendência entre aquelas com excesso de peso corporal. Estamos mantendo o acompanhamento ambulatorial das hipertensas e desenvolvendo programa de prevenção primária da hipertensão na comunidade estudada.

Keywords : Hipertensão; Epidemiologia; Prevenção; Índice de massa corporal; Alterações urinárias.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese