SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue4Fetal rhd genotyping from maternal plasma in a population with a highly diverse ethnic backgroundHabitual physical activity and cardiovascular risk in post menopause author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230On-line version ISSN 1806-9282

Abstract

FAVARATO, Maria Elenita Corrêa de Sampaio; FAVARATO, Desidério; HUEB, Whady Armindo  and  ALDRIGHI, José Mendes. Qualidade de vida em portadores de doença arterial coronária: comparação entre gêneros. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2006, vol.52, n.4, pp.236-241. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302006000400023.

OBJETIVO: Avaliar a qualidade de vida em portadores de doença arterial coronária (DAC) submetidos a um dos três tratamentos: clínico, cirúrgico ou por angioplastia, comparando possíveis diferenças entre gêneros. MÉTODOS: O estudo incluiu 542 sujeitos com DAC submetidos aos tratamentos, sendo 376 homens (58,5 ± 8,7 anos) e 166 mulheres (61,8 ± 9,2 anos). O instrumento de avaliação foi o Questionário Genérico de Avaliação de Qualidade de Vida (SF-36), aplicado no início do tratamento, após 6 e 12 meses. A análise estatística foi realizada pelo teste Anova. RESULTADOS: Em relação aos componentes físicos, o grupo cirúrgico exibiu escores de 46, 63 e 68, respectivamente, na fase inicial, 6 e 12 meses; o clínico 52, 65 e 62 e a angioplastia 57, 66 e 70. Os escores dos componentes mentais do tratamento cirúrgico foram 58, 71 e 74, do clínico 61, 69 e 69 e da angioplastia 64, 74 e 74. As diferenças foram significantes ao longo do tempo e entre tratamentos (p<0,01). Na comparação entre gêneros, notou-se que os componentes físicos nos homens apresentaram respectivamente escores 56*, 69 e 77* e nas mulheres 41*, 64 e 62*; os componentes mentais nos homens revelaram 61*, 73 e 80* e nas mulheres 51*, 68 e 62* (* p<0,0001). CONCLUSÃO: Os sujeitos submetidos ao tratamento cirúrgico mostraram evolução mais favorável. Os homens apresentaram melhor qualidade de vida no início, beneficiando-se progressivamente após 6 e 12 meses dos tratamentos, enquanto nas mulheres a melhora ocorreu aos 6 meses, reduzindo-se aos 12.

Keywords : Qualidade de vida; Coronariopatia; Gênero; Aspectos psicológicos.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License