SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.53 issue3Effect of propofol in combination with ephedrine upon the onset time of cisatracurium author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230

Abstract

FORTI, Neusa  and  DIAMENT, Jayme. Apolipoproteínas B e A-I: fatores de risco cardiovascular?. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2007, vol.53, n.3, pp. 276-282. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302007000300029.

A apolipoproteína (apo) B faz parte das frações lipídicas aterogênicas (Qm e VLDL remanescentes, LDL,Lp (a)) e a apo A-I da fração não-aterogênica (HDL). A determinação dessas apos é direta, automatizada, padronizada, com coeficiente de variação pequeno e não requer jejum. Os autores revisaram os principais estudos clinico-epidemiológicos e de intervenção terapêutica nas hiperlipidemias nos quais as apos B e A-I foram avaliadas. Esses estudos sinalizaram a importância das apos B e A-I no prognóstico de risco e permitiram que especialistas recomendassem a relação apo B / apo A-I como alternativa à já utilizada CT / HDL-c no cálculo de risco. Aguarda-se posicionamento futuro das Diretrizes para incluir as apos na avaliação do risco individual e objetivo terapêutico a ser atingido. Os autores sugerem que, na prática clínica, a determinação de apo B deve ser reservada ao coronariopatas com valores desejáveis de LDL-c ou na impossibilidade de seu cálculo e a de apo A-I, quando os valores de HDL-c são muito baixos.

Keywords : Apolipoproteínas; Fator de risco; Doença cardiovascular.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese