SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 número2Efeito sinérgico entre a dexmedetomidina e a ropivacaína 0,75% na anestesia peridural índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Associação Médica Brasileira

versão impressa ISSN 0104-4230versão On-line ISSN 1806-9282

Resumo

ORSI, Juliana Vianna de Andrade et al. Impacto da obesidade na capacidade funcional de mulheres. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2008, vol.54, n.2, pp.106-109. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302008000200010.

OBJETIVO: Avaliar a capacidade funcional em mulheres eutróficas, com sobrepeso e obesas. MÉTODOS: Estudo transversal analítico envolvendo 90 mulheres adultas com idade entre 40 e 60 anos, alocadas em três grupos de acordo com a classificação do índice de massa corporal: eutróficas (n=30), sobrepeso (n=30) e obesas (n=30). As pacientes foram entrevistadas usando um instrumento de avaliação de qualidade de vida específico para capacidade funcional o Stanford Health Assessment Questionnaire (HAQ-20). Também foram submetidas a teste de esforço para comparação do consumo máximo de oxigênio (VO2max) entre os três grupos. Para análise estatística foram usados o teste do Qui quadrado, a análise de variância de Kruskal-Wallis e as correlações de Spearman e Pearson para p= 0,05. RESULTADOS: As mulheres obesas apresentaram escores do HAQ-20 (0,375) significantemente maiores (p<0,05) do que os outros grupos (0), refletindo pior capacidade funcional. O grupo obesas apresentou valores de VO2max (25,8±5,0ml/kg/min) significantemente menores (p<0,001) que sobrepeso (29,9±6,1ml/kg/min) e eutróficas (33,8±4,1ml/kg/min), indicando pior aptidão cardiorrespiratória. Não houve diferença significante entre eutróficas e sobrepeso para VO2max e escores do HAQ-20. A hipertensão arterial foi mais freqüente nas mulheres obesas (p=0,012) que também apresentaram menores níveis de escolaridade (p= 0,026). CONCLUSÃO: As mulheres obesas apresentaram redução da aptidão física e da capacidade funcional em relação às eutróficas e sobrepeso, o que vem se somar ao pior prognóstico para doenças cardiovasculares dessas pacientes.

Palavras-chave : Obesidade; Qualidade de vida; Índice de massa corporal; Teste de esforço; Mulheres.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons