SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 issue3A denouncement of medical errors in Goiás stateComplementary and alternative medicine: use in Montes Claros, Minas Gerais author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230On-line version ISSN 1806-9282

Abstract

GONCALVES, Carla Vitola et al. Avaliação da frequência de realização do exame físico das mamas, da colpocitologia cervical e da ultrassonografia obstétrica durante a assistência pré-natal: uma inversão de valores. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2009, vol.55, n.3, pp.290-295. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302009000300021.

INTRODUÇÃO: Embora o exame de ultrassonografia seja um procedimento frequente na gravidez, o seu uso rotineiro não demonstrou efetividade sobre a redução da morbi-mortalidade materna ou perinatal. OBJETIVOS: Avaliar a cobertura do exame das mamas e da citologia oncótica cervical entre os exames de pré-natal, comparando-se com o número de ultrassonografias obstétricas realizadas. MÉTODOS: Constituiu-se de uma avaliação transversal, realizada na cidade de Rio Grande (RS), entre maio e julho de 2007. Os dados obtidos por meio de um questionário estruturado foram digitados no programa Epi-Info 6.04 e analisados no software SPSS. RESULTADOS: Entre as 230 puérperas entrevistadas, 99,1% realizaram ultrassonografia durante a gravidez, enquanto 37,5% e 33,6% realizaram exame clínico das mamas ou colpocitologia cervical, respectivamente. Houve significância estatística (p-valor < 0,001) entre o local do pré-natal e o número de exames ecográficos realizados na gravidez. As pacientes que realizaram consultas por convênios ou particular foram mais submetidas a cografias. Também observou-se que o maior número de ecografias obstétricas aumentou a probabilidade da gestante ter sido submetida ao exame clínico das mamas. Por sua vez, a realização da colpocitologia não foi influenciada pelo número de ultrassonografias. CONCLUSÃO: A realização da ecografia obstétrica foi priorizada e realizada como exame rotineiro, ao passo que o exame clínico das mamas e o exame colpocitológico cervical não o foram, apesar de serem orientados como obrigatórios durante o pré-natal. Este fato demanda novos estudos e avaliações dos programas de saúde e o impacto desta inversão nos índices de saúde populacional.

Keywords : Ultrassonografia; Mama; Citologia cervical e pré-natal.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License