SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.57 número2Manutenção do tabagismo e etilismo em pacientes tratados por câncer de cabeça e pescoço: influência do tipo de tratamento oncológico empregadoSíndrome metabólica e seus componentes em portadores do HIV índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Associação Médica Brasileira

versão impressa ISSN 0104-4230

Resumo

TORRES, Sueli Maria Preda dos Santos et al. Histomorfometria da mama de ratas tratadas com estrogênio e/ou progestagênio. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2011, vol.57, n.2, pp.177-181. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302011000200015.

OBJETIVO: Avaliar as alterações histomorfométricas nas mamas de ratas tratadas com estrogênio e/ou progestagênio por curto período de tempo. MÉTODOS: Foram divididas em quatro grupos 40 ratas ooforectomizadas: GC-recebeu veículo; GE-recebeu benzoato de estradiol (37,6 µg/animal); GP-recebeu acetato de medroxiprogesterona (11,28 mg/animal) e, GEP-recebeu benzoato de estradiol (37,6 µg/animal) e acetato de medroxiprogesterona (11,28 mg/animal). No grupo GE, o estradiol foi administrado durante sete dias, por via subcutânea. Já no grupo EP o estradiol foi administrado nos primeiros sete dias e o progestagênio por mais 23 dias, por via subcutânea. Vinte e quatro horas após a última administração dos hormônios, os animais foram anestesiados e o primeiro par de mamas inguinais removido, imerso em formaldeído a 10% e processado para inclusão em parafina, sendo os cortes corados pela Hematoxilina-Eosina. Foram avaliadas a morfologia e a área ocupada pelo parênquima mamário, sendo os dados submetidos à análise de variância complementado pelo teste de Kruskal-Wallis (p < 0,05). RESULTADOS: As mamas no grupo-controle apresentaram-se atrofiadas, sendo que, nos animais dos grupos GE e GEP, nota-se a presença de alvéolos típicos contendo secreção no seu interior, já nos animais tratados somente com progestagênio (GP) notam-se alvéolos formados por células volumosas que ocupam praticamente todo o lúmen alveolar. A morfometria mostrou haver maior área de parênquima mamário nos animais tratados com hormônios (GE = GP > GEP > GC; p < 0,05) CONCLUSÃO: O estradiol e o progestagênio apresentaram efeito proliferativo no parênquima mamário. No entanto, a administração prévia de estradiol modifica a ação do progestagênio no tecido mamário da rata.

Palavras-chave : Mama; ratos; estradiol; 17-Acetato de medroxiprogesterona; terapia de reposição hormonal.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons