SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.65 issue5Platelet to lymphocyte and neutrophil to lymphocyte ratios as strong predictors of mortality in intensive care populationInvestigation of the relationship between umbilical cord pH and intraventricular hemorrhage of infants delivered preterm author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230On-line version ISSN 1806-9282

Abstract

GU, Lihua; FU, Bin; SUI, Xiaohui  and  XU, Hongzhi. Abnormal expression of b10 cell frequencies: possible relation to pathogenesis and disease severity of aplastic anemia. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2019, vol.65, n.5, pp.637-646.  Epub June 03, 2019. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/1806-9282.65.5.637.

OBJETIVO:

A anemia aplástica (AA) é uma doença imunomediada que destrói células hematopoiéticas por meio dos linfócitos T ativados. A imunidade humoral mediada por linfócitos B também desempenha um papel importante na patogênese da AA. A subpopulação de células B reguladoras (Breg), que é definida como “B10”, secreta interleucina 10 (IL-10). No experimento, investigou-se se a proporção reduzida de células B10 nos pacientes de AA pode desempenhar um papel-chave na patogênese.

MÉTODOS:

Um total de 38 pacientes de AA (14 pacientes de anemia aplástica grave e 24 pacientes de anemia aplástica não grave) e 20 indivíduos de controle saudáveis foram incluídos. Todos os indivíduos não sofriam de doenças autoimunes ou de quaisquer outras doenças que afetam o sistema imunológico, tais como doenças contagiosas. As células mononucleares da medula óssea (PBMCs) eram isoladas e analisadas por citometria de fluxo (FCM) e ensaio de dupla marcação por imunofluorescência. A relação entre as proporções relativas de células B10 e as células ProB10 e as suas associações à AA, assim como a gravidade da doença avaliada por indicadores clínicos comuns, foram examinadas.

RESULTADOS:

Nossas análises revelaram que os pacientes de AA têm proporções significativamente menores de células B10 e células ProB10 periféricas em comparação com indivíduos de controle saudáveis. Os pacientes de anemia aplástica grave tiveram uma percentagem substancialmente menor de células B10 e células B10pro em comparação com pacientes de anemia aplástica não grave. Além disso, as células B10 e B10pro foram negativamente correlacionadas com contagens absolutas de neutrófilos, níveis de hemoglobina e plaquetas e contagem de reticulócitos absolutos nos pacientes de AA.

CONCLUSÕES:

Além disso, o estudo presente tentou elucidar o papel imunorregulatório potencial das células B10 na patogênese da AA e fornecer uma nova estratégia para a aplicação de imunoterapia baseada na célula B para tratar a AA no futuro.

Keywords : Anemia aplástica; Linfócitos B reguladores; Interleucina-10.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )