SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.65 issue5Profile and scientific output of researchers recipients of CNPq productivity grant in the field of medicineRepercussions of melatonin on the risk of breast cancer: a systematic review and meta-analysis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230On-line version ISSN 1806-9282

Abstract

VALLADARES, Tania et al. Prevalence of hypovitaminosis D in postmenopausal women: a systematic review. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2019, vol.65, n.5, pp.691-698.  Epub June 03, 2019. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/1806-9282.65.5.691.

INTRODUÇÃO:

A hipovitaminose D é considerada um problema de saúde pública global. O conhecimento de suas verdadeiras dimensões nos permitirá projetar intervenções e planejar medidas preventivas que possam ter um impacto significativo na saúde humana.

OBJETIVO:

O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência de hipovitaminose D, definida como concentração sérica de 25-hidroxivitamina D <30 ng/ml, em mulheres na pós-menopausa em todo o mundo, bem como identificar os potenciais fatores associados.

MÉTODOS:

Uma revisão sistemática foi realizada de acordo com as recomendações de Itens de Relatórios Preferenciais para Revisão Sistemática e Meta-Análises. Os termos de pesquisa específicos foram consultados nas bases de dados Medline, Excerpta Medica e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, sem restrição para o ano ou idioma de publicação.

RESULTADOS:

Dos 451 estudos inicialmente identificados, 32 foram selecionados para análise. Coletivamente, esses 32 estudos avaliaram 21.236 mulheres na pós-menopausa, das quais 16.440 (77,4%) apresentavam concentrações séricas de 25-hidroxivitamina D <30 ng/ml. A prevalência relatada de hipovitaminose D variou de 29% (nos Estados Unidos) a 99,4% (na China). Em seis dos estudos, a prevalência foi superior a 90%.

CONCLUSÕES:

Se o critério é o ponto de corte de 30 ng/ml, a maioria das mulheres na pós-menopausa no mundo poderia ser classificada como tendo hipovitaminose D. Entre os estudos avaliados, a menor prevalência relatada foi de quase 30%. Nem latitude, região do mundo, nem metodologia laboratorial foram encontrados para ser associados com a prevalência de hipovitaminose D.

Keywords : Deficiência de vitamina D; Vitamina D; Pós-menopausa; Climatério; Prevalência.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )