SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número2Representação semântica e nomeação em crianças com distúrbio específico de linguagemInteligibilidade: efeitos da análise de transcrição e do estímulo de fala índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Pró-Fono Revista de Atualização Científica

versão impressa ISSN 0104-5687

Resumo

TESSITORE, Adriana; MAGNA, Luis Alberto  e  PASCHOAL, Jorge Rizzato. Medida angular para aferição do tônus muscular na paralisia facial. Pró-Fono R. Atual. Cient. [online]. 2010, vol.22, n.2, pp.119-124. ISSN 0104-5687.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-56872010000200009.

TEMA: na paralisia facial periférica, a diminuição dos movimentos faciais e as sequelas estéticas resultantes podem ter repercussões emocionais importantes consequentes ao déficit funcional, na dependência da intensidade do quadro clinico. A reabilitação orofacial visa otimizar os movimentos residuais, na paralisia incompleta, e as suas adequações e/ou adaptação às funções orofaciais e da expressividade facial. Entretanto, quantificar o resultado terapêutico é um desafio. Em geral, as graduações utilizadas são generalistas esubjetivas. OBJETIVO: propor o Ângulo da Comissura Labial e avaliar sua confiabilidade como recurso objetivo na avaliação da modificação do tônus da musculatura facial na evolução da paralisia facial. MÉTODO: foram estudados 20 pacientes com paralisia facial periférica - grau IV. O estudo se fez sob imagens da documentação fotográfica de pacientes com paralisia facial, tomadas a partir de quinze dias de instalação e ao final de um ano de acompanhamento clínico. Mediu-se o ângulo por meio de traçados determinados por pontos faciais antropométricos pré-estabelecidos, como a linha entre a glabella e gnation e o cruzamento com os pontos chelion direito e esquerdo, determinando um ângulo medidomanualmente com um transferidor na fotografia. RESULTADOS: a média do Ângulo da Comissura Labial foi de 101,70 nas tomadas iniciais, diminuindo para 93,80 (desvio padrão = 4,3) após um ano de evolução. O teste estatístico revelou diferença estatisticamente significante (P < 0,001). CONCLUSÃO: os resultados obtidos sugerem que o Ângulo da Comissura Labial permite a avaliação objetiva da modificação do tônus da musculatura facial.

Palavras-chave : Paralisia Facial; Tono Muscular; Face; Terapia Miofuncional.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons