SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.4 issue9Orden corporal y esterilización masculinaRecusa de engajamento nas testagens de vacinas contra o HIV author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Horizontes Antropológicos

Print version ISSN 0104-7183On-line version ISSN 1806-9983

Abstract

KNAUTH, Daniela Riva; VICTORA, Ceres Gomes  and  LEAL, Ondina Fachel. A banalização da Aids. Horiz. antropol. [online]. 1998, vol.4, n.9, pp.171-202. ISSN 0104-7183.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-71831998000200010.

O presente trabalho objetiva discutir o impacto da incidência dos casos de Aids nas representações e práticas da população, ou seja, em que medida o aumento do número de pessoas infectadas e a familiaridade com a doença modificam as representações e as práticas associadas à Aids. Tomamos por universo de investigação o bairro que concentra o maior número absoluto de registros de mortalidade por Aids da cidade de Porto Alegre. Neste contexto, a Aids não pode, ao menos não tão facilmente, ser pensada como algo distante. Sua grande incidência faz dela uma “coisa normal”, que passa a ser incorporada ao cotidiano. Assim, a familiaridade com a doença, que poderia gerar uma maior “conscientização” para a prevenção, acaba por produzir sua banalização. Esta por sua vez pode acarretar o descrédito de toda e qualquer atitude preventiva e retardar a procura da medicina como recurso terapêutico, seja pela minimização da gravidade da doença ou pela experiência de pessoas próximas para as quais “nada adiantou”.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )