SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 número2A vingança do baixo clero: o desafio ao "PiG" e o estado do conflito cultural no tratamento da crise financeiraPapo de aposentado índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Mana

versão impressa ISSN 0104-9313

Resumo

VANZOLINI, Marina. Ser e não ser gente: dinâmicas da feitiçaria no alto Xingu. Mana [online]. 2013, vol.19, n.2, pp.341-370. ISSN 0104-9313.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-93132013000200005.

Baseado em uma pesquisa de campo com os Aweti, grupo tupi do alto Xingu, o artigo propõe uma reflexão sobre as particularidades da agressão mágica xinguana no cenário amazônico, relacionando técnicas, campos de incidência e efeitos políticos de tais práticas. Contrariando uma imagem corrente na etnologia regional, os xinguanos sempre identificam a fonte de seus maiores sofrimentos com a ação de pessoas bastante próximas, frequentemente coaldeãos da vítima, e sempre outros xinguanos, isto é, integrantes do que Ellen Basso denominou de "comunidade moral" xinguana: um conjunto multiétnico de aliados que se define, idealmente, pela abdicação da violência entre si. A hipótese central deste trabalho é que a feitiçaria xinguana deveria ser pensada como parte de um mecanismo de produção de inimizade que, operando a partir das relações cotidianas, faz com que o esforço histórico de produção de identidade comunitária pareça nunca se completar.

Palavras-chave : Alto Xingu; Feitiçaria; Xamanismo; Guerra; Política ameríndia.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons