SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.77 issue6Activity of five antimicrobial agents in vitro against Neisseria gonorrhoeae author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais Brasileiros de Dermatologia

On-line version ISSN 1806-4841

Abstract

PASCHOAL, Francisco Macedo. Nevo melanocítico congênito. An. Bras. Dermatol. [online]. 2002, vol.77, n.6, pp. 649-656. ISSN 1806-4841.  http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962002000600002.

O nevo melanocitico congênito está presente em aproximadamente 1% dos recém nascidos. As lesões classificadas como pequenas e medias são relativamente comuns, ao passo que o nevo gigante, maior que 20 cm no maior diâmetro, é uma condição mais rara cuja a incidência esta estimada em 1 para cada 20 mil nascimentos. As lesões melanociticas congênitas pequenas e médias têm um risco de degeneração maligna baixo, raramente ocorrendo na infância. Por outro lado, estima-se um risco entre 5 a 12 % de um melanoma se desenvolver a partir ou relacionado com um nevo gigante, e de regra, metade dos casos ocorrem antes dos 3 anos de idade. Alem da possibilidade de degeneração maligna, o acometimento neurológico e as implicações psicológicas devido ao aspecto estético são dois aspectos importantes relacionados com as lesões gigantes, influindo também na decisão e na abordagem terapêutica.

Keywords : melanoma; nevo pigmentado.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese