SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.78 número5Melanoma acrolentiginoso: um desafio ao diagnóstico precocePitiríase versicolor e síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Anais Brasileiros de Dermatologia

versão impressa ISSN 0365-0596versão On-line ISSN 1806-4841

Resumo

PIMENTEL, Maria Inês Fernandes et al. O exame neurológico inicial na hanseníase multibacilar: correlação entre a presença de nervos afetados com incapacidades presentes no diagnóstico e com a ocorrência de neurites francas. An. Bras. Dermatol. [online]. 2003, vol.78, n.5, pp.561-568. ISSN 1806-4841.  https://doi.org/10.1590/S0365-05962003000500005.

FUNDAMENTOS: As incapacidades constituem o principal problema decorrente da hanseníase. É importante identificar os fatores de risco envolvidos, de modo a acompanhar os pacientes mais propensos com maior atenção. OBJETIVOS: Determinar se a presença de nervos periféricos espessados e/ou dolorosos no momento do diagnóstico se correlaciona com a ocorrência de incapacidades físicas no exame inicial, bem como com episódios posteriores de neurite, em pacientes multibacilares, durante e após a poliquimioterapia. MÉTODOS: Foram estudados 103 pacientes portadores de formas multibacilares de hanseníase, sendo anotados a presença de nervos periféricos acometidos no momento o diagnóstico, o grau de incapacidade antes do tratamento (GIAT), e a ocorrência de episódios de neurites durante e após a poliquimioterapia para multibacilares. RESULTADOS: A detecção de nervos periféricos acometidos à época do diagnóstico correlacionou-se estatisticamente (p< 0,005) com a ocorrência de incapacidades físicas (GIAT > 0). Do mesmo modo, correlacionou-se significativamente (p < 0,05) com a ocorrência de neurites, durante a poliquimioterapia e no acompanhamento subseqüente (período médio de seguimento dos pacientes de 64,6 meses, a partir do diagnóstico). CONCLUSÃO: Sublinha-se a necessidade de realização de cuidadoso exame dos nervos periféricos por ocasião do diagnóstico, tanto para uma maior atenção para incapacidades já instaladas, quanto com relação à prevenção de incapacidades posteriores. Os profissionais que lidam com os portadores desta enfermidade devem estar atentos ao acometimento neurológico inicial por constituir fator de suscetibilidade às neurites e seqüelas neurológicas.

Palavras-chave : estatísticas de seqüelas e incapacidade; hanseníase; nervos periféricos; neurite.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons