SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.80 issue3Bednar tumor (pigmented dermatofibrosarcoma protuberans): a case reportHistorical profile of the immunopathogenesis of endemic Pemphigus Foliaceus (Fogo selvagem) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais Brasileiros de Dermatologia

On-line version ISSN 1806-4841

Abstract

KOPKE, Luis Fernando Figueiredo; BASTOS, José Caldeira Ferreira; ANDRADE FILHO, José de Souza  and  GOUVEA, Patricia Salomé. Margem de segurança: um conceito antigo e relativo. An. Bras. Dermatol. [online]. 2005, vol.80, n.3, pp. 279-286. ISSN 1806-4841.  http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962005000300009.

As expressões margem de segurança e margem cirúrgica são usadas freqüentemente como sinônimas, embora tenham significados distintos. A margem de segurança é preestabelecida e faz parte do planejamento cirúrgico. A margem cirúrgica é verificada posteriormente pelo patologista ao exame da peça cirúrgica. Na literatura não existe consenso a respeito da extensão da margem de segurança, sendo ela baseada em uma série de variáveis nem sempre de fácil análise. Por outro lado a cirurgia microscopicamente controlada não utiliza o conceito de margem de segurança e se constitui na forma mais racional de tratamento do câncer cutâneo. Este artigo discorre sobre os fatores determinantes da margem de segurança e da margem cirúrgica, tanto do ponto de vista clínico como do laboratorial, traçando um paralelo com a cirurgia microscopicamente controlada e lançando algumas reflexões importantes sobre a relatividade do conceito de margem de segurança.

Keywords : Cirurgia de Mohs; Neoplasias cutâneas [cirurgia]; Patologia cirúrgica; Reoperação.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese