SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.80 número6Dez anos de experiência com cirurgia micrográfica pelo método de Munique: relato de 93 casos operadosTinea capitis: epidemiologia e ecologia dos casos observados entre 1983 e 2003 na Faculdade de Medicina de Botucatu, Estado de São Paulo, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Anais Brasileiros de Dermatologia

versão impressa ISSN 0365-0596versão On-line ISSN 1806-4841

Resumo

DIOGO, Hilda Conceição; SARPIERI, Aldo  e  PIRES, Mário Cezar. Preservação de fungos em água destilada. An. Bras. Dermatol. [online]. 2005, vol.80, n.6, pp.591-594. ISSN 1806-4841.  https://doi.org/10.1590/S0365-05962005000700004.

FUNDAMENTOS: As micotecas são coleções de fungos conservadas para estudo futuro ou para a obtenção de extratos, drogas e outros fins. A conservação em meios de cultura por repiques sucessivos exige cuidados e nem sempre é fácil. Há necessidade de novas técnicas para a manutenção de fungos viáveis por longos períodos. OBJETIVO: avaliar a eficácia da preservação de fungos em água destilada num período de 12 meses. MÉTODOS: 43 espécies de fungos foram mantidas em frascos de vidro com água destilada estéril. Mensalmente eram colhidos de 200 a 250ml do líquido e inoculado em ágar batata dextrose para avaliar o crescimento e viabilidade dos fungos. RESULTADOS: houve crescimento dos fungos em todos os meses pelo período de um ano. CONCLUSÕES: A preservação de cepas pelo método da água destilada possibilitou, nesse curto espaço de tempo, provar a viabilidade e a capacidade de esporulação das cepas submetidas ao estudo. A conservação de fungos em água destilada é método barato e prático para manutenção de micoteca.

Palavras-chave : Água destilada; Cultura; Fungos.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons