SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.86 número4Modelos experimentais de desnutrição e sua influência no trofismo cutâneoPerfil de suscetibilidade a antifúngicos de dermatófitos isolados de pacientes com insuficiência renal crônica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Anais Brasileiros de Dermatologia

versão impressa ISSN 0365-0596

Resumo

CURSI, Ígor Brum; FREITAS, Letícia Bastos da Cunha Rodrigues de; NEVES, Maria de Lourdes Palermo Fernandes  e  SILVA, Ione Carlos da. Onicomicose por Scytalidium spp.: estudo clínico-epidemiológico em um hospital universitário do Rio de Janeiro, Brasil. An. Bras. Dermatol. [online]. 2011, vol.86, n.4, pp.689-693. ISSN 0365-0596.  https://doi.org/10.1590/S0365-05962011000400010.

FUNDAMENTOS: O Scytalidium spp. é fungo filamentoso, saprobio do solo e plantas, considerado, atualmente, patógeno primário das unhas. A prevalência das infecções ungueais causadas por este fungo vem aumentando nas últimas décadas, embora ainda sejam poucos os trabalhos publicados sobre sua epidemiologia. OBJETIVO: Estudo clínico-epidemiológico dos pacientes portadores de onicomicose por Scytalidium spp. em um hospital universitário do Rio de Janeiro. MÉTODOS: Foram avaliados os dados clínico-epidemiológicos de 30 pacientes com onicomicose por Scytalidium spp. por meio do estudo observacional de 1.295 pacientes que se submeteram a exame micológico ungueal no período de 16 meses. RESULTADOS: A maioria dos pacientes era do sexo feminino (66,6%), a média de idade foi de 56,7 anos e 63,3% eram não-brancos. O nível de escolaridade em 53,3% dos pacientes era o ensino fundamental e a renda familiar predominante foi de 3 a 5 salários mínimos em 36,6% dos entrevistados. Em 90% dos casos, as unhas dos pododáctilos foram acometidas, sendo a alteração clínica mais comum a onicólise (18 pacientes) e em 66,6% dos casos observou-se melanoníquia. O tempo de evolução da doença foi maior do que cinco anos em 43,3% dos casos. Dezenove pacientes (63,3%) já haviam realizado tratamento medicamentoso para o quadro atual. CONCLUSÕES: Os dados mostram que a infecção ungueal pelo Scytalidium spp. é crônica, mais comum no sexo feminino (2:1) e atinge indivíduos adultos. Clinicamente, é semelhante às dermatofitoses. A prevalência na amostra estudada foi de 4,86% e correspondeu a 26,92% dos exames positivos

Palavras-chave : Epidemiologia; Fungos; Micoses; Onicomicose.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons