SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.86 issue6Combining diagnostic procedures for the management of leishmaniasis in areas with high prevalence of Leishmania guyanensisReviewing concepts in the immunopathogenesis of psoriasis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais Brasileiros de Dermatologia

Print version ISSN 0365-0596

Abstract

CAMACHO-MARTINEZ, Francisco Miguel et al. Retalhos livres em dermatologia cirúrgica: comparação entre os retalhos livres fasciocutâneos e miocutâneos nas reconstruções faciais. An. Bras. Dermatol. [online]. 2011, vol.86, n.6, pp. 1145-1150. ISSN 0365-0596.  http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962011000600013.

FUNDAMENTOS: Os cirurgiões dermatológicos habitualmente realizam retalhos pediculados cutâneos à distância, de padrão axial ou ao acaso, para reparar os defeitos faciais. Estes tipos de retalhos cutâneos requerem muito tempo para realizar-se e têm elevadas despesas econômicas, sociais e pessoais. Com a introdução da transferência em uma única etapa de retalhos livres ao local receptor, com anastomose microvascular, estes inconvenientes poderiam ser evitados. OBJETIVO: Demonstrar que se obtêm melhores resultados com retalhos livres fasciocutâneos ou miocutâneos e qual deles é mais adequado em Dermatologia cirúrgica. MATERIAL E MÉTODOS: Selecionamos dois pacientes, de sexos diferentes e idades similares, que haviam sido tratados com cirurgia de Mohs, para eliminar os tumores malignos recidivantes que se localizavam na parte superior das bochechas contatando com a zona zigomática. A mulher foi tratada com um retalho livre fasciocutâneo radial e o homem com um retalho livre do músculo reto do abdômen. RESULTADOS: Ambos os pacientes tiveram excelentes períodos pós-operatórios imediatos. As complicações observadas no homem foram relacionadas a uma alteração pulmonar prévia. O retalho fasciocutâneo radial livre foi mais fácil de realizar do que o do reto do abdômen; não obstante, o retalho livre radial é muito fino e, embora lhe seja incluído tendão do palmar, não proporciona suficiente volume razão pela qual requer a introdução posterior de implantes. Em contrapartida, o retalho livre do reto do abdômen transfere um largo retalho que tem suficiente tecido grasso para poder engordar no futuro. Quanto aos resultados estéticos da zona doadora, o retalho do reto do abdômen produz melhores cicatrizes, já que os defeitos secundários da superfície palmar do antebraço não podem ser fechados diretamente e requerem habitualmente a aplicação de um enxerto; situação que alguns pacientes não aceitam. CONCLUSÕES: Como sempre em Dermatologia cirúrgica, cada paciente e cada tumor, uma vez extirpado, tem sua própria técnica reconstrutiva. O retalho livre radial é adequado para pacientes magros que não se incomodam de cobrir seu antebraço com a camisa. O retalho do reto do abdômen é mais adequado para pacientes obesos com defeitos profundos e voluminosos, embora seja necessário deslocar o umbigo de sua posição original

Keywords : Cirurgia de Mohs; Desenvolvimento muscular; Retalhos cirúrgicos.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English