SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.86 issue4  suppl.1Mal de Meleda: a report of two cases of familial occurrenceThe importance of mitosis as a factor for predicting sentinel lymph node biopsy for thin melanoma author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais Brasileiros de Dermatologia

Print version ISSN 0365-0596

Abstract

NGUYEN, Tuyet A; ORTEGA-LOAYZA, Alex G  and  STEVENS, Michael P. Miliária 'rash' após neutropenia febril e quimioterapia de indução para a leucemia mielóide aguda. An. Bras. Dermatol. [online]. 2011, vol.86, n.4, suppl.1, pp. 104-106. ISSN 0365-0596.  http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962011000700027.

Miliária é uma desordem das glândulas sudoríparas écrinas, que ocorre em condições de aumento de calor e umidade. Miliária pode ser associada com estados febris persistentes bem como com certos medicamentos. Apresentamos o caso de uma mulher de 40 anos com síndrome mielodisplásica e progressão para leucemia mielóide aguda que foi admitida no hospital para quimioterapia de indução. A paciente foi tratada com idarrubicina e citarabina. Ela se tornou pancitopênica e desenvolveu neutropenia febril. Iniciou tratamento com vancomicina e cefepime, mas a febre com sudorese noturna continou. Cinco dias depois a paciente desenvolveu vesículas difusas, não pruríticas e frágeis juntamente com a persistência de sudorese noturna. O exantema do paciente foi diagnosticado como Miliária cristalina, provavelmente induzida por neutropenia febril e exposição a idarubucin

Keywords : Quimioterapia; câncer; perfusão regional; Erupções por droga; Terapia medicamentosa; Idarrubicina; Miliária.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English