SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.87 número5Achados dermatoscópicos na alopecia androgenética femininaDRESS: características clinicopatológicas em 10 casos de Hospital Universitário em São Paulo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Anais Brasileiros de Dermatologia

versão impressa ISSN 0365-0596

Resumo

WEBER, Magda Blessmann; LORENZINI, Daniel; REINEHR, Clarissa Prieto Herman  e  LOVATO, Bárbara. Avaliação da qualidade de vida dos pacientes pediátricos de um centro de referência em dermatologia no sul do Brasil. An. Bras. Dermatol. [online]. 2012, vol.87, n.5, pp.697-702. ISSN 0365-0596.  https://doi.org/10.1590/S0365-05962012000500004.

FUNDAMENTOS: Doenças dermatológicas, em razão dos estigmas pela aparência das lesões, são fonte de impacto negativo no estado emocional, relações sociais e atividades cotidianas. OBJETIVOS: Este estudo objetiva avaliar a qualidade de vida nos pacientes dermatológicos pediátricos em um centro de referência em dermatologia, comparar os índices de qualidade de vida entre as dermatoses e associá-los às variáveis, além de avaliar de que forma as dermatoses afetam a qualidade de vida especificamente. MÉTODOS: Estudo analítico transversal, pacientes entre 5 e 16 anos, do Serviço de Dermatologia da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, entre julho de 2010 e fevereiro de 2011. Instrumentos utilizados: questionário Índice Pediátrico de Qualidade de Vida em Dermatologia e escala AUQEI. RESULTADOS: Um total de 161 pacientes, média de idade de 9,66 anos. As principais dermatoses foram dermatite atópica (29,8%), verrugas vulgares (13%) e molusco contagioso (7,5%). Doenças crônicas (73,9%) foram mais prevalentes. A média do Índice Pediátrico de Qualidade de Vida em Dermatologia de 5,01 para dermatoses crônicas, e de 2,07 em agudas, indicando maior comprometimento da qualidade de vida entre os pacientes cronicamente enfermos. A comparação entre os escores obtivos com a escala AUEQI e o Índice Pediátrico de Qualidade de Vida em Dermatologia indicam que a qualidade de vida global é afetada com menor intensidade do que a relacionada especificamente à dermatose. CONCLUSÃO: Os dados obtidos reforçam a importância do entendimento dos sintomas, desencadeantes e da terapêutica da dermatose em questão pelos pacientes, por seus familiares e por seus cuidadores. Tais infomações facilitam a aderência ao tratamento e justificam a conduta adotada pelo dermatologista.

Palavras-chave : Criança; Dermatologia; Dermatopatias; Qualidade de vida.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons