SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.87 issue6OX40+ T lymphocytes and IFN-γ are associated with American tegumentary leishmaniasis pathogenesisThe impact of acne vulgaris on quality of life and psychic health in young adolescents in Greece: results of a population survey author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais Brasileiros de Dermatologia

Print version ISSN 0365-0596

Abstract

CARACIOLO, Fabiana Beserra et al. Perfil de resistência antimicrobiana de isolados de Staphylococcus aureus provenientes de infecções de pele e tecidos moles de pacientes ambulatoriais de um hospital universitário em Recife - PE, Brasil. An. Bras. Dermatol. [online]. 2012, vol.87, n.6, pp. 857-861. ISSN 0365-0596.  http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962012000600006.

FUNDAMENTOS: O Staphylococcus aureus possui uma notável habilidade de adquirir resistência antimicrobiana, sendo a resistência à meticilina um problema de saúde pública crescente. O S. aureus resistente à meticilina (MRSA) vem se tornando importante também fora do ambiente hospitalar, particularmente nos Estados Unidos. No Brasil, desde 2005, têm sido relatados casos de infecções cutâneas comunitárias causadas por MRSA, porém estudos de resistência envolvendo pacientes ambulatoriais são escassos. OBJETIVO: Conhecer o perfil de resistência de S. aureus envolvidos em infecções de pele e partes moles de pacientes atendidos no ambulatório de Dermatologia de um hospital universitário de Recife, Pernambuco. MÉTODO: Estudo prospectivo envolvendo 30 pacientes com infecções de pele e tecidos moles atendidos no ambulatório de Dermatologia de maio a novembro de 2011. Para avaliação da suscetibilidade dos S. aureus aos antibióticos foram utilizados teste de disco-difusão e placa de screening de oxacilina. RESULTADOS: Das 30 amostras analisadas, 19 (63%) tiveram cultura positiva para S. aureus. Os seguintes padrões de resistência dos S. aureus foram observados: penicilina, 95%; tetraciclina, 32%; eritromicina, 21%; gentamicina, 16%; cefoxitina, 11%; oxacilina, 11%; sulfametoxazol-trimetoprima, 11%; clorafenicol, 11%; clindamicina, 5%; e ciprofloxacina, 0%. Um dos MRSA identificados foi obtido de paciente sem fatores de risco para sua aquisição, e além de aos betalactâmicos, mostrou-se resistente apenas à tetraciclina. CONCLUSÕES: Em relação aos padrões de resistência dos S. aureus, destacaram-se as resistências à tetraciclina, eritromicina e gentamicina. Documentou-se, pela primeira vez em Pernambuco, um caso de infecção cutânea causada por MRSA associado à comunidade.

Keywords : Infecções comunitárias adquiridas; Pele; Resistência microbiana a medicamentos; Staphylococcus aureus.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English