SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.88 número3Identificacao de especies fungicas nas onicomicoses do idoso institucionalizadoResultados de uma combinacao de bleomicina e triamcinolone acetonide no tratamento de queloides e cicatrizes hipertroficas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Anais Brasileiros de Dermatologia

versão impressa ISSN 0365-0596

Resumo

CARMO, Egberto Santos et al. Tratamento de pitiríase versicolor com aplicação tópica do óleo essencial de Cymbopogon citratus (DC) Stapf - estudo terapêutico piloto. An. Bras. Dermatol. [online]. 2013, vol.88, n.3, pp.381-385. ISSN 0365-0596.  http://dx.doi.org/10.1590/abd1806-4841.20131800.

FUNDAMENTOS:

Pitiríase versicolor é uma micose causada pela Malassezia spp., e que apresenta frequentes recidivas.

OBJETIVOS:

Este trabalho objetivou realizar estudos clínicos de fase I e II, para essa patologia, com óleo essencial de Cymbopogon citratus.

MÉTODOS:

Na fase I, participaram vinte voluntários para averiguar a segurança das formulações. Na fase II, 47 voluntários receberam as formulações do óleo essencial a 1,25 μL/mL, as quais deveriam ser utilizadas por quarenta dias, sendo o xampu três vezes por semana e o creme duas vezes ao dia. Um grupo controle na fase II, constituído por 29 voluntários recebeu as mesmas formulações, com cetoconazol a 2%.

RESULTADOS:

Verificada a segurança das formulações com a finalização da fase I, onde nenhuma reação adversa significativa foi observada nos indivíduos sadios, conduziu-se a fase II. Nesta segunda fase, 30 (63,83%) voluntários utilizando óleo essencial e 18 (62,07%) cetoconazol permaneceram até o final do estudo. Observaram-se nos pacientes com pitiríase versicolor predomínio de lesões na forma disseminada e M. sympodialis foi o agente predominante identificado em cultura. Após 40 dias de tratamento, obteve-se um percentual de cura micológica de 60% (p < 0,05) para o grupo tratado com óleo essencial de C. citratus e superior a 80% (p < 0,05) para o grupo tratado com cetoconazol.

CONCLUSÕES:

Apesar da segurança e efeito antifúngico observados após aplicação das formulações contendo óleo essencial de C. citratus, outros estudos com maior número de portadores de pitiríase versicolor precisam ser realizados para confirmar o real potencial destas formulações.

Palavras-chave : Antifúngicos; Infecção; Malassezia; Micoses; Tinha versicolor.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )