SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.46 issue3Diagnostic value of anti-cyclic citrullinated peptide antibody in rheumatoid arthritis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Reumatologia

Print version ISSN 0482-5004On-line version ISSN 1809-4570

Abstract

SILVA, Aldifran Ferreira da et al. Associação do anticorpo anticitrulina e gravidade da artrite reumatóide. Rev. Bras. Reumatol. [online]. 2006, vol.46, n.3, pp.165-173. ISSN 0482-5004.  http://dx.doi.org/10.1590/S0482-50042006000300002.

OBJETIVOS: Avaliar a associação do anticorpo antipeptídeo citrulinado cíclico (anti-CCP) com distintos parâmetros clínicos, sorológicos e radiológicos. MÉTODOS: Anti-CCP e fator reumatóide (FR) foram pesquisados no soro de 100 pacientes com artrite reumatóide (AR). A atividade da doença foi definida por meio de um índice combinado compreendendo cinco parâmetros: número de juntas inflamadas, número de juntas doloridas, rigidez matinal, escala visual analógica (EVA) de dor e velocidade de hemossedimentação (VHS). A capacidade funcional foi medida pelo índice HAQ (Health Assessment Questionnaire) e a classe funcional foi determinada mediante aplicação dos critérios revisados do American College of Rheumatology (ACR), de 1991. Erosão e pinçamento articular foram graduados pelo índice de Sharp modificado. A análise estatística empregou os testes do Qui-quadrado, Mann Whitney e Kruskal-Wallis. RESULTADOS: Nenhum dos dois anticorpos demonstrou associação significativa com atividade da doença, sexo, idade de início da doença, presença de nódulos subcutâneos e síndrome de Sjögren. A média de idade foi significativamente menor nos pacientes com AR anti-CCP positivos. A positividade para o FR e anti-CCP foi maior nos pacientes com AR com menos de 50 anos em comparação com os pacientes com mais de 50 anos. A AR de início recente (< 2 anos) não se associou a uma maior prevalência de soropositividade para o anti-CCP e FR. O anti-CCP apresentou uma correlação positiva moderada com o FR. Houve uma correlação direta entre o anti-CCP e a VHS e a proteína C reativa (PCR). Houve também uma correlação direta entre o FR, a VHS e a PCR. A classificação funcional dos critérios revisados do ACR de 1991 não se associou a qualquer dos dois auto-anticorpos. O índice de HAQ não se correlacionou com a atividade da doença, duração da doença, positividade do FR e atividade medida pela PCR, mas associou-se nitidamente à positividade do anti-CCP e à atividade medida pelo VHS. Os índices de Sharp para erosão e pinçamento se associaram à positividade do anti-CCP. Tal associação não foi evidenciada com a positividade do FR. CONCLUSÃO: Embora o anti-CCP apresente boas propriedades diagnósticas, ele não apresenta associação com a atividade da doença, sexo, idade de início da doença, tempo de evolução de doença, presença de nódulos subcutâneos, síndrome de Sjögren ou classificação funcional do ACR de 1991. Houve associação da positividade do anti-CCP com a menor idade dos pacientes, fator reumatóide, VHS, PCR, índice de HAQ e índices de Sharp para erosão e pinçamento.

Keywords : artrite reumatóide; auto-anticorpos; anti-CCP; fator reumatóide; HAQ.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License