SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.47 issue6Partial meniscectomy as an experimental model of osteoarthritis in rabbits and protector effect of chloroquine diphosphate author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Reumatologia

Print version ISSN 0482-5004On-line version ISSN 1809-4570

Abstract

MESQUITA, Rafael Carvalho et al. Alterações do sono e prevalência de depressão em pacientes lúpicos em uso de pulsoterapia com ciclofosfamida. Rev. Bras. Reumatol. [online]. 2007, vol.47, n.6, pp.396-400. ISSN 0482-5004.  https://doi.org/10.1590/S0482-50042007000600002.

INTRODUÇÃO: O uso de ciclofosfamida endovenosa é uma opção terapêutica nas formas graves de lúpus eritematoso sistêmico (LES). No entanto, a toxicidade e o perfil de risco ainda não estão adequadamente definidos. OBJETIVO: Avaliar sobre a ocorrência de alterações do sono em pacientes portadores de LES submetidos à terapia com ciclofosfamida endovenosa. MÉTODOS: Nós estudamos 30 casos consecutivos (27 do sexo feminino) com idade entre 14 e 53 anos (30,5 ± 10), em pulsoterapia com ciclofosfamida (mg) (média 948,27 ± 221,39). Os pacientes foram avaliados quanto à presença de sintomas depressivos, qualidade do sono e sonolência excessiva diurna (SED). A qualidade do sono foi estudada pelo índice de qualidade do sono de Pittsburgh (IQSP), a SED pela escala de sonolência de Epworth e os sintomas depressivos pelo Inventário de Depressão de Beck (21 itens). A gravidade da doença foi avaliada por intermédio do SLEDAI. RESULTADOS: O SLEDAI oscilou entre 2 e 46 (17 ± 11,4). Hipertensão (30%), anemia (23,3%), osteoporose (23,3%) e miocardiopatia (6,6%) foram as comorbidades mais observadas. Um paciente tinha história de convulsões (3,3%). Má qualidade do sono (PSQI e" 6) foi encontrada em 66,7% e SED (ESS > 10), em 30% dos pacientes. Sintomas de depressão (BDI > 19) estavam presentes em 40% dos casos. Os sintomas depressivos associaram-se à presença de má qualidade do sono (p = 0,03). CONCLUSÕES: Nosso estudo mostra que alterações do sono e sintomas depressivos são comuns em pacientes portadores de LES em pulsoterapia com ciclofosfamida. Esses achados são similares a outros estudos previamente relatados e são independentes do tipo de tratamento utilizado.

Keywords : lúpus; sono; ciclofosfamida; SLEDAI; sonolência diurna; depressão.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License