SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 número1Estratégia de troca entre agentes anti-TNF-alfa não melhora a capacidade funcional em pacientes com artrite reumatoide de longa evoluçãoBloqueio do receptor de leucotrieno CysLT1 em pacientes com fenômeno de Raynaud: evidência capilaroscópica do papel do leucotrieno índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Reumatologia

versão impressa ISSN 0482-5004

Resumo

MARTINS, Marielza Regina Ismael et al. Uso de questionários para avaliar a multidimensionalidade e a qualidade de vida do fibromiálgico. Rev. Bras. Reumatol. [online]. 2012, vol.52, n.1, pp.21-26. ISSN 0482-5004.  http://dx.doi.org/10.1590/S0482-50042012000100003.

A síndrome fibromiálgica (SFM) é uma síndrome dolorosa, de etiologia desconhecida, com alta prevalência e frequentes condições associadas, que causa grande impacto no cotidiano e na qualidade de vida dos pacientes. OBJETIVO: Verificar, devido ao seu caráter multifatorial, o poder discriminativo dos instrumentos, a fim de identificar indicadores que permitam expressar a autoavaliação e o autoconhecimento. PACIENTES E MÉTODOS: Trata-se de um estudo descritivo, exploratório, comparativo, de corte transversal e amostra de um grupo-teste (T), com diagnóstico de SFM (n = 63), e de um grupo-controle (C) submetido a interconsulta na Clínica da Dor (n = 75). Os instrumentos utilizados foram: Questionário de Impacto de Fibromialgia (FIQ), Escala Visual Analógica (EVA), Questionário de Dor McGill e o Protocolo Pós-Sono (PSI). Para avaliar a qualidade de vida, foi utilizado Questionário SF-12. RESULTADOS: Na amostra dos dois grupos houve predomínio do gênero feminino, média de idade de 42,3 ± 4,3 anos, 45% casados e média de escolaridade de 8 ± 3,5 anos. Foi relatado um tempo médio de dor de 3,2 anos e uma média de dois anos para o diagnóstico de SFM no grupo T. O grupo T apresentou níveis mais altos de dor, ansiedade e depressão, pior qualidade de sono, menos flexibilidade e pior qualidade de vida, embora alguns desses sintomas também estejam presentes entre os indivíduos do grupo C. CONCLUSÃO: Todos os instrumentos têm poder discriminativo (P < 0,05), destacando FIQ, EAV e PSI, que produziram maior área sob a curva (AUC) ROC

Palavras-chave : fibromialgia; qualidade de vida; avaliação; clínicas de dor.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf epdf ) | Inglês ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons