SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 número66Caracterização da avaliação da aprendizagem nas salas de recursos multifuncionais para alunos com deficiência intelectual índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Educação

versão impressa ISSN 1413-2478versão On-line ISSN 1809-449X

Resumo

WULF, CHRISTOPH. Aprendizagem cultural e mimese: jogos, rituais e gestos. Rev. Bras. Educ. [online]. 2016, vol.21, n.66, pp.553-568. ISSN 1413-2478.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782016216629.

Estudos recentes sobre primatas mostram que o homem é, de longe, o mais habilitado para aprender por mimetismo. Aristóteles já considerava que a aptidão para a aprendizagem cultural e o prazer de a isso se dedicar constituíam um dom próprio da espécie humana. Essas aptidões miméticas permitem à criança, na primeira infância, participar da produção e dos processos culturais da sociedade. Na primeira infância, a criança assimila as produções materiais e simbólicas de sua comunidade cultural, as quais, conservadas dessa maneira, são transmitidas à geração seguinte. Em ampla medida, a aprendizagem cultural é aprendizagem mimética, essencial em inúmeros processos de formação e de autoformação. Ela se estende ao outro, à comunidade social e aos bens culturais, cuja vitalidade é garantida por ela. A aprendizagem mimética, fundamentada no corpo e nos sentidos, permite a aprendizagem de imagens, de esquemas, de movimentos pertencentes à esfera da ação prática; ela se realiza, em grande parte, de maneira inconsciente, fato que induz efeitos duradouros em todos os campos da evolução cultural.

Palavras-chave : mimese; aprendizagem cultural; ritual; gesto; saber prático.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )