SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número4Influência da variação dos decúbitos laterais na deposição pulmonar de aerossolAvaliação antropométrica e musculoesquelética de pacientes com síndrome de Marfan índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Brazilian Journal of Physical Therapy

versão impressa ISSN 1413-3555

Resumo

BRASILEIRO, Jamilson S.; PINTO, Olga M. S. F.; AVILA, Mariana A.  e  SALVINI, Tania F.. Alterações funcionais e morfológicas do quadríceps induzidas pelo treinamento excêntrico após reconstrução do LCA. Rev. bras. fisioter. [online]. 2011, vol.15, n.4, pp. 284-290.  Epub 19-Ago-2011. ISSN 1413-3555.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552011005000012.

OBJETIVOS: O propósito deste estudo foi avaliar as contribuições dos fatores funcionais e morfológicos na recuperação da força muscular do quadríceps femoral após reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior (LCA). MÉTODOS: Nove indivíduos (31,3±5,8 anos) foram treinados por meio de contrações excêntricas máximas, duas vezes por semana, durante 12 semanas. A função do quadríceps foi avaliada pela dinamometria isocinética (pico de torque isométrico e excêntrico) e pela eletromiografia (EMG). As alterações morfológicas foram mensuradas por meio de ressonância magnética (RNM). Na avaliação inicial, observou-se significativo déficit no torque extensor do joelho do membro acometido, com hipotrofia muscular de todo o quadríceps e redução na atividade EMG, quando comparado ao membro não-acometido. RESULTADOS: O treinamento excêntrico produziu aumento no torque excêntrico a 30º/s (de 199±51 Nm para 240±63 Nm, p<0,05) e no volume muscular, sendo que maiores hipertrofias ocorreram na região proximal da coxa (de 169±27 para 189±25,8 cm2, p<0,01). A atividade EMG do Vasto Medial (VM) aumentou nas primeiras seis semanas de treinamento. O aumento no torque extensor demonstrou correlação positiva com o aumento no volume (r=0,81, p<0,01) e na atividade eletromiográfica (EMG) (r=0,69, p<0,05) nas primeiras seis semanas. Após 12 semanas de treinamento, houve correlação apenas entre o aumento do torque e do volume (r=0,78, p<0,01). CONCLUSÕES: 1) O treinamento excêntrico mostrou-se como potente recurso tanto na recuperação dos fatores morfológicos como funcionais do músculo quadríceps; 2) A contribuição dos fatores neurais e morfológicos varia em função do período de treinamento.

Palavras-chave : ligamento cruzado anterior; eletromiografia; ressonância magnética; quadríceps femoral.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês