SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 issue3Comparison of three hand dynamometers in relation to the accuracy and precision of the measurementsChanges in FDB and soleus muscle activity after a train of stimuli during upright stance author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Physical Therapy

Print version ISSN 1413-3555

Abstract

PARREIRA, Verônica F. et al. Evolução da força muscular respiratória no período pós-operatório de gastroplastia redutora. Rev. bras. fisioter. [online]. 2012, vol.16, n.3, pp.225-230. ISSN 1413-3555.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552012000300008.

CONTEXTUALIZAÇÃO: A obesidade é um problema de saúde em todo o mundo e pode causar disfunção respiratória. A literatura que associa a perda de peso corporal às pressões respiratórias máximas (PRM) é inconclusiva. OBJETIVO: Avaliar, longitudinalmente, a pressão inspiratória máxima (PImáx) e a pressão expiratória máxima (PEmáx) de pacientes com obesidade mórbida antes e após gastroplastia redutora e compará-los a um grupo controle pareado por sexo e idade. MÉTODO: Um manovacuômetro (GeRar®, SP, Brasil) foi utilizado para avaliar PImáx e PEmáx de 30 participantes obesos (24 mulheres e seis homens, 32±8 anos), com índice de massa corporal (IMC) de 43±4 kg/m2, antes da gastroplastia redutora e após um e seis meses. Após 36 meses, em média, foram reavaliados 17 obesos. Como grupo controle, foram avaliados 30 indivíduos com função pulmonar normal, 30±8 anos, e IMC de 22±2 kg/m2. Para análise estatística, utilizou-se teste t de Student para grupos independentes e ANOVA para medidas repetidas. Um p<0,05 foi considerado significativo. Resultados: Não foram observadas diferenças significativas na avaliação inicial entre os dois grupos. Houve aumento significativo após 36 meses de cirurgia no grupo com obesidade em relação à PImáx. Em relação à PEmáx, houve diminuição significativa após um mês e aumento significativo após 36 meses, quando comparada com um e seis meses de cirurgia. CONCLUSÕES: Os dados demonstraram aumento significativo da PImáx em longo prazo, bem como redução significativa da PEmáx após um mês, seguido de um retorno aos valores de pré-operatório, indicando influência positiva da gastroplastia redutora sobre a força dos músculos inspiratórios.

Keywords : pressões respiratórias máximas; avaliação respiratória; fisioterapia; gastroplastia redutora; pós-operatório; força muscular respiratória.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License