SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 número6Effects of physical therapy in older women with urinary incontinence: a systematic reviewBehavior of respiratory muscle strength in morbidly obese women by using different predictive equations índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Brazilian Journal of Physical Therapy

versión impresa ISSN 1413-3555

Resumen

DI THOMMAZO-LUPORINI, Luciana et al. Análise clínica e metabólica comparativa entre o teste de caminhada de seis minutos e o teste de exercício cardiopulmonar em mulheres obesas e eutróficas. Rev. bras. fisioter. [online]. 2012, vol.16, n.6, pp. 469-478.  Epub 24-Jul-2012. ISSN 1413-3555.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552012005000036.

CONTEXTUALIZAÇÃO: A reduzida tolerância ao exercício está relacionada à diminuída capacidade funcional consequente da obesidade. Objetivos: Analisar e comparar respostas cardiopulmonares, metabólicas e subjetivas durante um teste de esforço cardiopulmonar e um teste de caminhada de seis minutos na esteira em mulheres obesas e eutróficas. MÉTODO: Foram incluídas 29 mulheres com idades entre 20 e 45 anos. Catorze voluntárias foram alocadas no grupo de obesas e 15, no grupo de eutróficas. Foram realizadas medidas antropométricas e de composição corporal. RESULTADOS: Em ambos os testes, as obesas apresentaram maiores valores de consumo absoluto de oxigênio, ventilação-minuto e pressão arterial sistólica e diastólica; ainda apresentaram menor velocidade de caminhada, distância percorrida e consumo de oxigênio relativo, quando comparadas com as eutróficas. Durante o teste máximo de exercício, a dispneia percebida foi maior e o quociente respiratório menor nas obesas em relação às eutróficas. Durante o teste submáximo, produção de dióxido de carbono, volume corrente e frequência cardíaca foram maiores nas obesas, comparadas às eutróficas. Houve forte correlação entre a frequência cardíaca e moderada correlação entre o consumo de oxigênio no pico dos testes. A frequência cardíaca obtida no teste submáximo aplicado foi capaz de predizer a frequência cardíaca obtida no teste máximo. Os gráficos de Bland-Altman demonstraram concordância entre os testes para identificar parâmetros metabólicos e fisiológicos no pico do exercício. CONCLUSÃO: O teste de caminhada de seis minutos induziu respostas ventilatórias, metabólicas e cardiovasculares concordantes com as do teste máximo, provando ser importante na rotina de avaliação funcional fisioterápica de mulheres obesas.

Palabras llave : obesidade; teste de esforço; aptidão física; fisioterapia.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés