SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 issue5Gross Motor Function Classification System Expanded & Revised (GMFCS E & R): reliability between therapists and parents in BrazilComparison of quality-of-life instruments for assessing the participation after stroke based on the International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Physical Therapy

Print version ISSN 1413-3555

Abstract

BRUNIERA, Carlos A. V.; ROGERIO, Fernando R. P. G.  and  RODACKI, Andre L. F.. Resposta estabilométrica durante apoio unipodal após fadiga muscular de membros inferiores. Braz. J. Phys. Ther. [online]. 2013, vol.17, n.5, pp.464-469. ISSN 1413-3555.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552012005000119.

OBJETIVO:

Analisar o efeito da fadiga muscular induzida por exercício isotônico ativo-resistido de extensão de joelhos em intensidade moderada na resposta estabilométrica em apoio unipodal em universitários saudáveis, praticantes de treinamento resistido.

MÉTODO:

Para tanto, 11 jovens universitários saudáveis foram submetidos ao teste de 1-RM, avaliação estabilométrica pré e pós-intervenção e protocolo de indução à fadiga muscular utilizando a extensão do joelho como tarefa fatigante. Utilizou-se o teste de Shapiro-Wilk para verificação da normalidade dos dados e o teste de Wilcoxon para as comparações entre os parâmetros estabilométricos pré e pós-indução à fadiga muscular com nível de significância estipulado em p≤0,05, enquanto a estatística descritiva foi aplicada para caracterizar a idade, estatura, massa corporal e o índice de massa corporal (IMC).

RESULTADOS:

O grupo apresentou 23,1±2,7 anos; 1,79,2±0,07 m; 75,6±8,0 Kg; 23,27±3,71 Kg.m-2; 3,36±1,12 número de dias de atividade/semana; 1RM: 124,54± 22,07 kg; 60% de 1-RM: 74,72±13,24 Kg. A oscilação do centro de pressão (CP) médio-lateral pré e pós-fadiga, respectivamente, foi de 2,89±0,89 mm e 4,09±0,59 mm, enquanto a oscilação ântero-posterior foi de 2,5±2,2 mm e 4,09±2,26 mm. Encontrou-se diferença na largura de oscilação do CP nas direções ântero-posterior e médio-lateral entre as condições pré e pós-fadiga, p=0,04 e p=0,05, respectivamente.

CONCLUSÕES:

Portanto, o estudo demonstrou que a fadiga muscular altera o controle postural, especialmente na excursão médio-lateral e ântero-posterior do CP.

Keywords : reabilitação; fadiga muscular; exercício; equilíbrio postural.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )