SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número1Definição do tamanho amostral usando simulação Monte Carlo para o teste de normalidade baseado em assimetria e curtose. II.: abordagem multivariadaEfeito da semeadura a seco e tratamento de sementes na emergência, rendimento de grãos e outras características da soja [Glycine max (L.) Merrill] índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência e Agrotecnologia

versão impressa ISSN 1413-7054

Resumo

TALAMINI, Viviane et al. Dez anos da clínica fitossanitária da UFLA - freqüência da ocorrência de patógenos, sintomas e principais hospedeiros. Ciênc. agrotec. [online]. 2003, vol.27, n.1, pp.70-75. ISSN 1413-7054.  https://doi.org/10.1590/S1413-70542003000100008.

Com o presente trabalho objetivou-se analisar os diagnósticos realizados na Clínica Fitossanitária do Departamento de Fitopatologia da Universidade Federal de Lavras, no período de 1990 a 1999. Foram analisadas 85 espécies de hospedeiros, num total de 1429 amostras. Os fungos, com 70,5%, as bactérias, com 12,9% e as viroses, com 1,2%, foram os agentes etiológicos de doenças bióticas encontrados com maior freqüência. A deficiência nutricional e a fitotoxidez representaram 15,4%. O fungo de maior ocorrência foi o gênero Fusarium, associado a 25,5% das doenças, seguido de Colletotrichum (16%), Rhizoctonia (11%), Alternaria (5%), Cercospora (4%), espécies do grupo Helminthosporium (4%) e Phoma (3,5%). Os demais gêneros de fungos representaram 32% das amostras. Entre os agentes etiológicos bacterianos, destacou-se o gênero Erwinia, com 35% das amostras, seguida pelos gêneros Streptomyces (30%), Ralstonia (13,5%), Pseudomonas (11,5%), Xanthomonas (9,5%) e Agrobacterium (0,5%). As manchas foliares foram os sintomas de maior ocorrência, encontrados em 40% das amostras recebidas, seguidas das murchas (22%), cancros e sarnas (17%), podridões (14%) e tombamento (3%). Outros sintomas totalizaram 4% das amostras recebidas. Entre os hospedeiros, as hortaliças destacaram-se com 27% das ocorrências, os grãos, com 24%, as frutíferas tropicais, com 17%, as ornamentais, com 15%, as frutíferas temperadas, com 3%, forrageiras, com 2%, oleaginosas, com 2% e outros, com 10%.

Palavras-chave : Doenças de plantas; clínica fitossanitária e epidemiologia.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons