SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 número2Uso do conceito de proteína ideal em rações com diferentes níveis energéticos, suplementadas com fitase para frangos de corte de 1a 21 dias de idadeEfeito de extratos vegetais no controle de Fusarium oxysporum f. sp tracheiphilum em sementes de caupi índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência e Agrotecnologia

versão impressa ISSN 1413-7054versão On-line ISSN 1981-1829

Resumo

CARVALHO, Carlos Alfredo Lopes de et al. Abelhas (Hymenoptera: Apoidea) visitantes das flores de gliricídia no Recôncavo Baiano. Ciênc. agrotec. [online]. 2009, vol.33, n.2, pp.606-610. ISSN 1413-7054.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542009000200038.

Objetivou-se, nesse trabalho, obter informações sobre a diversidade de abelhas visitantes em gliricídia (Gliricidia sepium (Jacq.) Stend.), na região do Recôncavo Baiano. As espécies visitantes nas flores foram coletadas, no período de setembro a novembro de 2005. Definiu-se, aleatoriamente, 15 inflorescências por intervalo de hora para a coleta efetiva das abelhas, sendo utilizado um minuto por inflorescência, ao longo do intervalo de 07:00 às 18:00 horas, durante o período de floração. Um total de 10 espécies foram identificadas, sendo que Apis mellifera foi a espécie mais abundante, com freqüência relativa igual a 25,40 %, seguida da Trigona spinipes (23,81 %), Nannotrigona testaceicornis (14,28 %), Xylocopa grisescens e Trigona fuscipennis (ambas com 12,70 %). O pico de visita das abelhas ocorreu das 10:01 às 11:00 horas. A. mellifera, T. spinipes e N. testaceicornis foram consideradas as espécies com potencial para a polinização das flores de gliricídias, na região do Recôncavo Baiano.

Palavras-chave : Insecta; Gliricidia sepium; abelhas sem-ferrão; Meliponinae.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons