SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 número4APOIO INTERGERACIONAL EM FAMÍLIAS COM CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIAINTERVENÇÃO PRECOCE NA PSICOSE: DE ESTRATÉGIA CLÍNICA A POSSÍVEL CATEGORIA DIAGNÓSTICA índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Psicologia em Estudo

versão impressa ISSN 1413-7372

Resumo

GERMANO, Idilva Maria Pires; BASTOS, Ana Carolina Teixeira  e  SOUSA, Allan Ratts de. SELF E AUTOBIOGRAFIA EM MEMÓRIAS DO SUBSOLO E A CONSCIÊNCIA DE ZENO . Psicol. estud. [online]. 2014, vol.19, n.4, pp.717-728. ISSN 1413-7372.  https://doi.org/10.1590/1413-73722425513.

A pergunta "Quem sou eu?" remete tanto à problemática do self (a consciência de si) quanto à da autobiografia (a escrita de si). A noção de um eu que tem consciência de si mesmo e o gênero autobiográfico são construções sociais interligadas, marcadas por transformações históricas e culturais da Modernidade Ocidental e objeto de tematização filosófica, científica e literária. Este trabalho discute ambas as problemáticas em Memórias do subsolo, de Dostoiévski (1864/2009), e A consciência de Zeno, de Italo Svevo (1923/2003). Nessas obras podem-se acompanhar os dilemas modernos do entendimento do self e da escrita de si, mediante o tratamento dado por seus autores tanto à matéria quanto à forma textual. Dois eixos temáticos, a verdade de si como doença e a impossibilidade da autobiografia foram analisados comparativamente, com amparo em molduras teóricas transdisciplinares que contribuem para a revisão do conceito de self e do gênero autobiográfico. Nas obras analisadas observa-se o mesmo desafio às bases cartesianas, individualistas e racionalistas do self e da autobiografia operado pela crítica do sujeito moderno, com a figuração dessas realidades como artefatos sociais relacionais e dialógicos, ao invés de realidades individuais acabadas, privadas, estáticas ou dotadas de coesão. Ambas sublinham a condição precária do eu que ganha forma apenas na relação com e reação aos outros. Cada uma, a seu modo, descontrói a crença em concepções fundantes do eu e da autobiografia, levantando questões que hoje são objeto privilegiado de teorização de uma psicologia de linhagem narrativo-dialógica.

Palavras-chave : Self; autobiografia; dialogismo.

        · resumo em Espanhol | Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )