SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.37 issue2Origin of celiac and cranial mesenteric arteries in buffaloes (Bubalus bubalis, L. 1758) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science

Print version ISSN 1413-9596

Abstract

LUNA, Stelio Pacca Loureiro et al. Romifidina ou xilazina associadas à quetamina em cães premedicados com levomepromazina. Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. [online]. 2000, vol.37, n.2, pp. 00-00. ISSN 1413-9596.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-95962000000200001.

Investigaram-se neste estudo os efeitos cardiorrespiratório e analgésico da associação de romifidina ou xilazina com a quetamina em cães. Dezesseis cães receberam como medicação pré-anestésica 1,0 mg/kg de levomepromazina IV, seguido de 0,1 mg/kg de romifidina (n = 8) ou 1,0 mg/kg de xilazina (n = 8) associadas a 15 mg/kg de quetamina IM, utilizando-se protocolo aleatório de seleção dos grupos, em estudo duplo cego. Os cães de ambos os grupos apresentaram hipotermia, bradicardia, leve hipotensão e redução da freqüência respiratória e volume minuto. Poucas alterações foram observadas na concentração de CO2 expirada e na saturação de O2 na hemoglobina. Os valores de pH, PaO2 e bioquímica sangüínea não apresentaram diferenças ao longo do tempo em cada grupo ou entre os grupos. Os reflexos dolorosos permaneceram reduzidos por até 30 a 45 minutos após a aplicação dos a-2 agonistas e quetamina. Doze cadelas foram divididas em dois grupos, anestesiadas como acima e foram submetidas a ovarioisterectomia. A recuperação foi mais longa nas cadelas tratadas com romifidina/quetamina. Embora estes protocolos anestésicos tenham produzido mínimas alterações cardiorrespiratórias, a qualidade da anestesia não foi ideal para ovarioisterectomia.

Keywords : Metotrimepazina; Xilazina; Ketamina; Cão.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English