SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 issue20An existential analysis of healthNaturalization and medicalization of the female body: social control through reproduction author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Interface - Comunicação, Saúde, Educação

On-line version ISSN 1807-5762

Abstract

TESSER, Charles Dalcanale. Medicalização social (II): limites biomédicos e propostas para a clínica na atenção básica. Interface (Botucatu) [online]. 2006, vol.10, n.20, pp. 347-362. ISSN 1807-5762.  http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832006000200006.

A medicalização social destrói ou diminui a autonomia em saúde-doença das populações e gera demanda infindável aos serviços de saúde, consistindo em relevante desafio para o SUS. Este artigo discute limites dos saberes/práticas biomédicos quanto à sua contribuição para a promoção da autonomia dos usuários e propõe algumas diretrizes para o manejo desses limites. Conclui que as tecnologias de intervenção, os saberes biomédicos e suas operações cognitivas pouco contribuem para a autonomia dos doentes. Frente a tais limites, sugere uma ressignificação dos saberes biomédicos, centrada na função "curandeira" das equipes de saúde, vista como missão de reconstruir a autonomia, prevenir e curar os adoecimentos vividos, além dos diagnosticados. Defende uma reorganização de valores e metas da clínica biomédica na atenção básica, como a relativização dos diagnósticos, a desontologização das doenças e dos riscos, o fim da obsessão por controle, o combate ao autoritarismo biomédico e a priorização da terapêutica.

Keywords : medicalização social; epistemologia; programa saúde da família; atenção primária à saúde; clínica médica; habilidade clínica.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese