SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número49Formação em saúde com vivência no Sistema Único de Saúde (SUS): percepções de estudantes do curso de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), BrasilRecepção estética de apresentações teatrais com atores com história de sofrimento psíquico índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Interface - Comunicação, Saúde, Educação

versão On-line ISSN 1807-5762

Resumo

ROMANINI, Moises  e  ROSO, Adriane. Midiatização do crack e estigmatização: corpos habitados por histórias e cicatrizes. Interface (Botucatu) [online]. 2014, vol.18, n.49, pp.363-376.  Epub 17-Mar-2014. ISSN 1807-5762.  http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622013.0138.

Neste artigo propomos uma análise das experiências de usuários de crack em relação ao próprio corpo, sensações e histórias relacionadas ao uso da droga. Baseados nas pressuposições metodológicas da Hermenêutica de Profundidade, observação participante e grupos focais foram conduzidos em um Centro de Atenção Psicossocial para usuários de álcool e outras drogas. A análise foi apoiada por autores da sociologia, psicologia social e psicanálise. Nos discursos dos profissionais da saúde, usuários de crack e da mídia de massa, foi confirmada a reprodução e manutenção das relações de dominação entre homens e mulheres. O corpo do usuário é alvo de categorizações sociais e acaba sendo colado à identidade de usuário de crack. Outro aspecto relevante observado foi que os usuários de crack apresentaram um pensamento crítico contra os discursos hegemônicos sobre drogas veiculados nos meios de comunicação.

Palavras-chave : Cocaína crack; Corpo humano; Estereótipo; Estigma social; Psicologia Social.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )