SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número2Estudo Longitudinal EpiFloripa Idoso – Rotinas de organização e protocolos referentes à coleta, análise e armazenamento de material biológico, exames de imagem e capacidade físico-funcionalCaracterização assistencial dos hospitais filantrópicos da Região Metropolitana de Belo Horizonte índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Cadernos Saúde Coletiva

versão impressa ISSN 1414-462Xversão On-line ISSN 2358-291X

Resumo

FERRIANI, Lara Onofre et al. Validade de medidas autorrelatadas de peso corporal e estatura em participantes do estudo São Paulo Megacity. Cad. saúde colet. [online]. 2019, vol.27, n.2, pp.225-233.  Epub 27-Jun-2019. ISSN 1414-462X.  https://doi.org/10.1590/1414-462x201900020242.

Introdução

A utilização de indicadores válidos na avaliação do estado nutricional populacional é muito importante.

Objetivo

Avaliou-se a concordância entre medidas aferidas e autorrelatadas de peso corporal, estatura e IMC, e identificou-se fatores que exercem influência sobre o autorrelato.

Método

Estudo transversal de base populacional de adultos da Região Metropolitana de SP (N=766). Cálculo dos coeficientes de correlação intraclasse e análises gráficas de Bland & Altman foram conduzidos, avaliando a concordância dessas medidas.

Resultados

Na amostra total, e para ambos os sexos, foram subestimados o peso corporal autorrelatado e, consequentemente, o IMC, enquanto a estatura autorrelatada foi superestimada. A imprecisão no autorrelato foi influenciada pelo sexo, idade, escolaridade e estado nutricional. A confiabilidade encontrada entre as medidas foi elevada em ambos os sexos e na amostra total (peso corporal CCI 0,951/IC 0,938-0,961; estatura CCI 0,870/IC 0,597-0,939; IMC CCI 0,865/IC 0,677-0,928). A prevalência de excesso de peso pelas medidas autorrelatadas mostrou-se subestimada (13%), quando comparada àquela calculada através das medidas aferidas.

Conclusão

O autorrelato pode ser influenciado por diversos fatores, produzindo medidas imprecisas. Sua utilização em inquéritos populacionais pode acarretar em uma importante subestimativa do risco de adoecimento e mortalidade prematura por doenças cardiovasculares e metabólicas associados ao excesso de peso.

Palavras-chave : autorrelato; estado nutricional; antropometria; índice de massa corporal; depressão.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )